Um aumento dramático nos casos de Covid-19 em Tóquio reacendeu as especulações sobre a realização das Olímpiadas, que deve acontecer na cidade em pouco mais de seis meses.

O chefe do grupo japonês de bebidas Suntory Holdings, que também é conselheiro do governo, disse para a agência de notícias Reuters que não tinha certeza se o Japão poderia sediar as Olimpíadas devido à pandemia do coronavírus, mas que deveria fazer o possível para fazer então.

“Não tenho certeza se conseguiremos realizar as Olimpíadas de Tóquio ou não”, disse o CEO da Suntory, Takeshi Niinami, em entrevista na quarta-feira (13). “Mas é uma grande mensagem para o mundo … Devemos fazer todos os esforços.”

Leia Mais: COI quer priorizar vacinação de atletas para as Olimpíadas
Conheça o Nike Alphafly, o tênis proibido nas Olimpíadas

O Japão ampliou seu estado de emergência contra o coronavírus para cobrir mais da metade da população na quarta-feira, com o surgimento de infecções gerando alertas de intensa pressão sobre os hospitais.

De acordo com o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, as medidas antivírus introduzidas na região da grande Tóquio – no centro da última onda de casos – seriam expandidas para incluir outras sete prefeituras.

Yoshiro Mori, chefe do comitê organizador de Tóquio 2020, disse que os preparativos continuarão, apesar das dúvidas crescentes de que os Jogos possam ser realizados enquanto a pandemia continua. Mori, um ex-primeiro-ministro japonês, disse que adiá-los pela segunda vez seria “absolutamente impossível”.

O governo japonês e o Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiram em março do ano passado adiar Tóquio 2020 por um ano devido à pandemia. As únicas opções restantes são seguir em frente neste verão ou cancelar os Jogos.

A opinião da população japonesa

Várias pesquisas de opinião mostraram que a maioria dos japoneses se opõe à realização das Olímpiadas neste ano por causa do Covid-19. Na quarta-feira, uma pesquisa da emissora pública NHK descobriu que apenas 16% achavam que as Olimpíadas deveriam acontecer em julho, enquanto 77% achavam que elas deveriam ser canceladas ou adiadas.

Embora o Japão tenha evitado um surto catastrófico de Covid-19, o país está lutando para conter o surto mais recente. O número de casos em todo o país aumentou para mais de 300.000 na quarta-feira, enquanto o número de mortos chegou a 4.187, disse o NHK.