Óleo de coco na vagina: veja os benefícios para a região íntima

Por Redação

Óleo de coco na vagina: veja os benefícios para a região íntima
Imagem: Tijana Drndarski/Unsplash

Muito se fala sobre os benefícios do óleo de coco para a pele e o cabelo, mas você sabia que ele também pode ser usado na vagina? Muitas mulheres adeptas a terapias alternativas e naturais aderem a esse costume.

+ Óleo de coco no pré-treino: benefícios e como usar
+ Coceira na vagina: o que pode ser, como aliviar e evitar
+ Por que mulheres estão colocando alho na vagina?

Após observar resultados de experiências em pacientes, debates em congressos e aulas de terapias alternativas, Wanicleide Leite, médica ginecologista e obstetra formada pela Universidade Federal da Paraíba, afirma que o uso do óleo de coco na vagina é recomendado para mulheres de todas as idades.

“A sua ação antioxidante mantém o pH vaginal equilibrado e protege a vagina contra fungos e bactérias, além de ser um hidratante natural para a mucosa da região íntima”, explica a médica colunista do “Papo Íntimo”, programa da TV Cabo Branco, filiada à Rede Globo.

O óleo de coco é obtido a partir da polpa do coco fresco maduro (espécie Cocos nucifera L.). Pesquisas já citaram as propriedades antivirais e antimicrobianas da substância, além da ação antioxidante e melhora na resposta do sistema imunitário anti-inflamatório.

+ 4 benefícios do óleo de coco para a saúde e a estética
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios

A ginecologista indica a substância principalmente para quem tem queixas de coceira e irritação vaginal. Segundo ela, o óleo de coco também é muito recomendado para as mulheres em pós parto cuja mucosa está atrófica, assim como para as mulheres no climatério (período de transição da fase reprodutiva para a fase não-reprodutiva) para hidratar a vagina e facilitar a atividade sexual.

Como usar o óleo de coco na vagina

Segundo Wanicleide Leite, o óleo de coco, encontrado em lojas de produtos naturais, pode ser introduzido no canal vaginal e na região perineal.

“Recomendo de duas formas: com a ponta dos dedos, aplicar uma pequena quantidade na vulva ou colocar uma colher de chá em uma forma de gelo e colocar no congelador, depois introduzir no canal vaginal ao se deitar para dormir”, conta.

A médica diz que dificilmente o óleo de coco provoca algum efeito colateral, mas se isso acontecer, o uso deve ser interrompido.

Como alternativa natural à substância, Wanicleide indica o óleo de melaleuca. Quanto às opções alopáticas, antifúngicos e antibióticos também podem ser usados sob orientação médica com a mesma função do óleo de coco.

Atenção: lembre-se de sempre consultar um(a) ginecologista antes de utilizar produtos na vagina.

-Publicidade-