Baile de Favela: Ginasta Rebeca Andrade conquista vaga nas Olimpíadas de Tóquio com funk

Por Redação

Baile de Favela: Ginasta Rebeca Andrade conquista vaga nas Olimpíadas de Tóquio com funk
Imagem: Reprodução/Instagram

A ginasta Rebeca Andrade conseguiu uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio com uma apresentação que tocou ‘Baile de Favela’, funk de MC João. A atleta conseguiu o ouro do individual geral no Campeonato Pan-Americano de ginástica artística no Rio de Janeiro, no sábado (5), e garantiu a participação nos Jogos Olímpicos.

A série de Rebeca viralizou nas redes sociais por representar o funk brasileiro e ser uma referência negra no esporte.

Leia mais

+ Mountain Bike em Tóquio: Jaqueline Mourão vai para sua sétima Olimpíada; veja quais brasileiros garantiram vaga

+ Skate nas Olimpíadas: Veja a equipe feminina que vai representar o Brasil em Tóquio

+ Brasil tem 232 atletas classificados para os Jogos Olímpicos

“É muito legal, porque a gente não vê muitas pessoas negras no esporte. Hoje em dia que está aparecendo mais. A gente pode se espelhar. Eu inspiro outras meninas, outras crianças. Isso é muito bom para o esporte. Está sendo muito legal”, disse Rebeca ao Globo Esporte.

“Abro as redes sociais, e um monte de página falando sobre minha música, sobre a minha série. É muito bom ter meu trabalho reconhecido, porque é muito esforço, muito suor, muita alegria para que tudo isso aconteça. Fico bem feliz”, completou.

A ginasta já havia feito sucesso com a escolha de música nas Olimpíadas do Rio em 2016, quando se apresentou com um medley de ‘Crazy In Love’ e ‘Single Ladies’, de Beyonce.

Rebeca já tinha apresentado a série com ‘Baile de Favela’ em competições de 2019, mas ela lesionou o joelho e não disputou uma vaga olímpica no Mundial daquele ano. A ginasta passou por uma cirurgia, mas se recuperou no ano passado e agora vai levar o funk para as Olimpíadas de Tóquio.

“A música foi uma surpresa do coreografo Rhony (Ferreira). Estava saindo da Beyoncé de 2016 e achei muito diferente no começo: “Meu Deus, vou sair de Beyoncé para um funk”. Foi diferente. Hoje adoro a música, acho que combina muito comigo. Fiquei muito feliz que as pessoas gostaram também. Isso é muito importante na ginástica”, contou Rebeca.