Atletas criticam postura de Yasmin e Medina sobre veto do COB

Mais Lidas

O posicionamento de Yasmin Brunet e Gabriel Medina sobre o veto do COB à viagem da modelo e esposa do surfista como ‘membro da equipe técnica’ continua a repercutir – e entre alguns atletas e ex-atletas, negativamente.

A ex-nadadora Joanna Maranhão se manifestou, também por meio das redes sociais, sobre o caso. Ex-atleta, Joanna é dona do melhor resultado do país na natação feminina na história e a única nadadora brasileira a participar de quatro edições consecutivas dos Jogos olímpicos (Atenas 2006, Pequim 2008, Londres-2012 e Rio 2016).

+ Yasmin Brunet sobre Medina e COB: “Está sendo tratado com descaso”
+ Sem Yasmin: Gabriel Medina levará Andy King para as Olimpíadas
+ Gabriel Medina pressiona COB para levar Yasmin Brunet a Tóquio
+ Guia das Olimpíadas: tudo sobre o surf

“Mermão, alguém precisa dar um choque de realidade em Yasmin. Eu não tenho nada a ver com isso mas ela tá nos stories falando em ‘descaso do cob’ (sic) e olha, eu realmente acredito que uma galera precisa entender o movimento olímpico”, publicou no Twitter.

Joanna continuou: “Ela fala para um público que não vive ou acompanha esporte. Não tô falando de torcedor de futebol, aqui…é outra realidade”.

‘Surf é um esporte individual e quem compete sabe a importância de ter alguém do lado’. Sim amor, você sabe que a grande maioria dos atletas de esporte individual não tem sequer o treinador presente nos jogos? Por que não cabe geral, tá ligado?”, completou, cirando uma das falas de Yasmin.

De acordo com o COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Gabriel Medina já preencheu a única vaga disponível para acompanhante em Tóquio: a de seu treinador, Andy King.

Inicialmente, o surfista havia indicado o padrasto e ex-treinador Charles Medina, mas após o rompimento de relações e crises familiares ele o substituiu por King, na chama ‘lista larga’.

Depois, Medina tentou incluir a esposa, Yasmin Brunet, como acompanhante, mas o veto do COB limitou os acompanhantes de cada atleta a uma única pessoa por conta das restrições impostas pela pandemia de COVID. Medina tentou, então, uma nova substituição, de King por Yasmin, que foi negada.

Em uma série de stories publicados em sua conta pessoal no Instagram, a modelo citou “descaso” por parte do comitê e mostrou muita indignação.

“Em nenhum momento ele pediu tratamento diferenciado, muito pelo contrário. Ele não está querendo ser tratado diferente dos outros, ele está querendo ser tratado como os outros estão sendo tratados, que as regras se apliquem a todos. Surf é um esporte individual e quem compete sabe a importância de ter alguém do lado”, desabafou.
Medina apoiou a fala da esposa, mas confirmou que irá mesmo aos Jogos acompanhado apenas por Andy King. O COB, por sua vez, preferiu não se manifestar e está dando a polêmica como encerrada.

O Comitê Olímpico Internacional e o governo japonês anunciaram nesta quinta-feira (8) que a presença de público nos locais de prova das Olimpíadas está vetada.

Últimas Notícias