SP terá voos direto para Bariloche durante temporada de neve

Por redação

voos bariloche
O trajeto SP x Bariloche deve ser realizado quatro vezes por semana - Foto: shutterstock

Há um mês e meio, o governo da Argentina anunciou que o aeroporto Teniente Luis Candelaria, em Bariloche, receberia voos diretos do exterior, inclusive do Brasil. E agora, a companhia aérea Aerolíneas Argentinas confirma nesta segunda-feira (21) que, durante a temporada de neve, terá diretos entre Guarulhos (SP) e a cidade localizada na região da Patagônia.

+ Por que os tibetanos não sofrem tanto com as altas altitudes?

+ Trem de 100 anos oferece roteiro para conhecer o deserto australiano

+ Como o snowboard se relaciona com o surf e skate?

A partir da primeira semana de julho até setembro, serão quatro voos semanais. Os dias, horários e preços da nova rota ainda não foram informados.

Além disso, a empresa adiantou que em julho, o trecho de São Paulo a Salta, na região de Tucumán, também será realizado, no entanto, apenas três vezes por semana.

Atualmente, a Aerolíneas realiza 21 voos semanais de (ou para) São Paulo, outros 14 que saem e retornam para o Rio de Janeiro, três semanais entre Salvador e três entre a capital carioca e Córdoba.

A partir de abril, outros voos que ligam Buenos Aires a Brasília, Curitiba e Porto Alegre entrarão a bordo três vezes por semana.

A intenção é facilitar e tornar mais rápido o acesso entre o Brasil e a região norte e sul da Argentina. Pablo Ceriani, presidente das Aerolíneas Argentinas, comemorou especialmente a importância da chegada direta a uma das principais cidades do sul.

“Esta nova rota de São Paulo a Bariloche significa continuar ampliando nossa oferta e, sem dúvida, um motor muito importante para impulsionar o turismo na nossa Patagônia”, destacou.

Os voos do Brasil também terão conexão direta com toda a rede de voos domésticos da empresa, por conta da regionalização do aeroporto metropolitano realizada durante 2021.

O brasileiro vacinado que chega na Argentina não precisa apresentar teste negativo de covid-19, mas deve apresentar o comprovante de imunização, além de um seguro de cobertura para a doença. Já o não vacinado deve comprovar o resultado negativo para o SARS-CoV-2 e além do seguro, também devem fazer quarentena de sete dias.

-Publicidade-