Grande medalhista olímpico, Scheidt se despede de Tóquio em oitavo, na classe Laser

Mais Lidas

O bicampeão olímpico Robert Scheidt realizou sua última regata das Olimpíadas 2020, neste sábado, terminando em oitavo lugar na classificação geral. O velejador, de 48 anos e dono de cinco medalhas em Jogos Olímpicos (Atlanta-1996, Sydney-2000, Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012), chegou à regata da medalha na classe laser com um desafio grande para conseguir sua sexta medalha olímpica, fechando a competição em nono lugar.

27.07.2021 - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Vela. Robert Scheidt da classe Laser. Foto de Júlio César Guimarães/COB.
27.07.2021 – Jogos Olímpicos Tóquio 2020 – Vela. Robert Scheidt da classe Laser. Foto de Júlio César Guimarães/COB.

A prova

Na primeira perna, Scheidt chegou em décimo lugar, o que o colocou em nono lugar geral. Na segunda, o velejador ficou em nono, e a combinação de resultados o colocava em décimo lugar geral. Na terceira perna, o brasileiro, mais uma vez, chegou em décimo (última posição). Na quarta, Robert voltou em nono, e oitavo colocado no geral. Na quinta e última perna, o atleta manteve a nona colocação, fechando em oitavo, no geral.

Leia também:

Estilo Rocky Balboa, Abner vence nas quartas e garante medalha para o Brasil

Paulo André coloca Brasil na semifinal dos 100 metros rasos

Marco Grael e Gabriel Borges abrem regata da 49er na oitava posição

O australiano Matt Wearn foi quem garantiu a medalha de ouro antes mesmo da regata da medalha, em razão de seus resultados anteriores, seguido do croata Tonci Stipanovic e do Norueguês Hermann Tomasgaard, prata e bronze, respectivamente.

O maior medalhista do Brasil

Apesar de não ter conseguido sua sexta medalha nos Jogos Olímpicos de 2020, Robert Scheidt segue com o título de maior medalhista da história do Brasil, com cinco medalhas, ao lado do também velejador Torben Grael. Ambos têm dois ouros, porém Scheidt tem duas pratas e um bronze, e Grael tem uma prata e dois bronzes.

 

 

Últimas Notícias