Com menos procura e melhores preços, época para comprar viagem de inverno é agora

Com menos procura e melhores preços, época para comprar viagem de inverno é agora
Foto: Unsplash

Para o primeiro inverno no Hemisfério Sul após as restrições sanitárias, as expectativas no setor de turismo estão altas. Ao que tudo indica a temporada de neve será agitada, seja pelo bom câmbio, que torna países queridos como a Argentina ainda mais vantajosos, ou pelas diversas atrações e estrutura que os vizinhos da região oferecem ao turista. Tradicionalmente procurados por brasileiros no período, viajar para o Chile e para a Argentina entre junho e setembro costuma ser mais caro, mas, para driblar os preços altos, a melhor opção é antecipar a compra de pacotes.

+ Iguape, Ilha Comprida e Cananéia: um roteiro pelas praias, dunas e natureza reservada

+ Dia Mundial do Turismo e a emancipação das mulheres na estrada

+ Bota Pra Correr: meus primeiros 10km conhecendo a paradisíaca São Miguel dos Milagres

+ 7 praias brasileiras para aprender a surfar

Especialistas do mercado afirmam que o brasileiro tem o hábito de tomar decisões de lazer na última hora e por isso pagam mais caro. Os 90 dias que antecedem uma viagem, em geral, têm maior demanda, o que pode encarecer voos e reservas em até 30%. Com isso, adiantar o momento da compra se torna um diferencial na busca por melhores condições. De acordo com Gabriel Cordeiro, Gerente Geral da BWT Operadora, fevereiro e começo de março, pós carnaval, são períodos ideais para boas negociações nos pacotes de inverno. “Antecipando a viagem, o turista foge de grandes flutuações de preço devido a procura, além de garantir mais tempo para o pagamento da viagem antes do embarque, facilitando na programação”, disse.

Entre os destinos mais requisitados está a Argentina, com destaque para Bariloche e Ushuaia. As duas cidades ficam localizadas na Patagônia e garantem toda a beleza e estrutura que o turista deseja ao viajar para destinos de neve. Em Bariloche fica localizado o maior centro de esportes de neve da América do Sul, no Cerro Catedral. Além disso, a cidade é conhecida pela produção de chocolates artesanais, cerveja e, por que não, sorvete. Já Ushuaia é o famoso fim do mundo, por ser a cidade localizada mais ao sul do planeta. O passeio por lá garante belas paisagens pelo Parque Nacional da Terra do Fogo e, para quem gosta de esportes de neve, há a Estação de Esqui Cerro Castor. A BWT Operadora oferece diversas opções de pacotes pelo país. Quatro dias em Bariloche com passeios pelos lagos sai a partir de R$ 1975. Já pelo Ushuaia com três noites, tour pela Terra do Fogo e trem para o fim do mundo, está a partir de R$ 2.600.

Outro país requisitado por brasileiros no período é o Chile. Com a Cordilheira dos Andes como pano de fundo, ao viajar para o destino é possível conhecer vulcões, descansar em águas termais, degustar vinhos e, claro, ver muita neve. São duas boas opções para o turista: o Valle Nevado, famosa estação de esqui na Cordilheira, ideal para quem quer praticar esportes de neve e, ao lado, a bela capital Santiago, para aqueles que preferem um passeio mais cosmopolita. Na BWT, pacote com aéreo, em julho, para Santiago sai a partir de R$ 4.945, incluindo 5 noites de hospedagem e tour panorâmico pelo Valle Nevado.

Com muitos destinos requisitados e opções para todos os gostos, decidir o roteiro pode se tornar um desafio, por isso, o contato com o agente de viagem é muito importante, além de garantir mais segurança no acompanhamento da experiência de viagem. “A familiaridade do idioma e cultura faz muitos brasileiros viajarem sem orientação profissional para destinos da América do Sul, o que pode ser um grande erro. Há muitas pegadinhas nesses destinos e é preciso tomar cuidado!” conclui Cordeiro.

Os pacotes BWT com as melhores condições para destinos de neve estão disponíveis nas principais agências de viagens do país. Para encontrar a mais próxima basta acessar o site oficial da BWT Operadora.







Acompanhe o Rocky Mountain Games Pedra Grande 2024 ao vivo