4 atividades que você pode praticar em Parques Naturais do Estado de SP

Por Redação

atividades em Parques Naturais de SP
Foto: Shutterstock

Após anos desafiadores de pandemia, nada melhor do que comemorar a vida e se exercitar com ar puro em meio a natureza, não é mesmo? E o melhor é que para quem vive no Brasil, não é preciso ir tão longe para isso. O Estado de SP, por exemplo, conta com 52 Parques Naturais cheios de vida e ideais para a prática de diversas atividades outdoor.

Leia mais:

+ Conheça alguns parques urbanos em SP para curtir as férias
+ Tendências de viagem: os 10 destinos brasileiros mais procurados no inverno
+ 4 destinos para pedalar e surfar no mesmo dia

Só nesta região do país, são mais de 813 mil hectares de parques naturais repletos de florestas, serras e praias. Neles, beleza e diversidade são o ponto de partida para o visitante aproveitar de muitas maneiras.

Trilhas, cicloturismo, rafting, remada, escalada, rapel, são alguns dos atrativos que a natureza preservada desses locais pode oferecer.

Aqui preparamos uma seleção de 4 atividades diferentes que você pode praticar em Parques Naturais do Estado de SP.

4 atividades que você pode praticar em Parques Naturais do Estado de SP:

Mountain Bike no Parque Estadual do Juquery

O Parque Estadual do Juquery – Foto: Humberto Lago Muller / Governo do Estado de SP

A apenas 45 km de São Paulo, o Parque Estadual do Juquery, localizado nos municípios de Caieiras e Franco da Rocha, conta com área de quase 2 mil hectares e preserva o último fragmento do cerrado da região metropolitana de São Paulo. O símbolo do Parque é a seriema, ave típica do cerrado que os visitantes podem facilmente avistar do Ovo da Pata.

Se você mora em São Paulo, a região pode ser uma ótima opção para praticar o mountain bike. Lá tem uma trilha com 14 km de extensão de nível moderado. O percurso passa por áreas de muita beleza, além de contar com dois biomas: o cerrado, com o percurso cercado por vegetações características de campos e fisionomias savânicas, e a Mata Atlântica.

A trilha autoguiada leva cerca de 1h30 a 2h e percorre os principais pontos atrativos do Parque, como o Mirante da Várzea do Rio Juquery, logo no início, o Quiosque da Seriema, a Árvore Solitária, e o caminho até o Ovo do Pato (ponto mais alto do Parque). O perfil altitudinal do trecho é de 251 a 275 metros.

Para realizar a trilha, a utilização de equipamentos de segurança, como capacete e luvas, é indispensável, além das condições ideais de manutenção das bicicletas.

Serviço:
Endereço: Rua Miguel Segundo Lerussi, s/n
Horário da trilha: 08:00 – 15:30 – seg a dom
Tel.: (11) 4449-5545
Email: pe.juquery@fflorestal.sp.gov.br

Natação em águas abertas no Parque Estadual Ilhabela

A Ilha das Cabras – Foto: shutterstock

Localizado no Litoral Norte de São Paulo, o Parque Estadual de Ilhabela é um Parque-Arquipélago, criado em 1977 e engloba 85% do município de Ilhabela. É composto por um total de 27.025 hectares e contabiliza 12 ilhas (sendo a sede a Ilha de São Sebastião), além de 3 ilhotes, 3 ilhas e 1 parcel. A parte mais conhecida e acessível, é muito conhecida por suas trilhas, cachoeiras e biodiversidade da fauna e flora.

O local é um excelente lugar para a prática de natação em águas abertas. Isso porque grande parte do arquipélago é protegido pelo canal de São Sebastião e dificilmente recebe ondulação como em outras partes mais expostas do litoral.

A apenas 100 metros de distância da praia das Pedras Miúdas está a Ilha das Cabras, um lugar lindo e com muita vida marinha. Por lá, é possível nadar ao redor da ilha e se você for mais experiente como nadador de águas abertas, a distância vai ser bem tranquila.

Vale ressaltar que por ser uma atividade no mar, é preciso tomar cuidado com correntes. Caso você perceba o fenômeno, não é recomendado fazer a travessia. Além disso, dependendo do horário pode ter um fluxo maior de embarcações. A recomendação aqui é optar por treinos na parte da manhã ou final de tarde, e ter a companhia de alguém remando ao seu lado, de SUP, caiaque ou canoa.

Serviço:
Endereço: Av. Brasil, altura do número 1700, Piúva, Ilhabela
Tel.: (12) 3896-2660
Email: pe.ilhabela@fflorestal.sp.gov.br

+ Como fazer a Trilha do Bonete em Ilhabela

Corrida de trilha no Parque Estadual Carlos Botelho

O Parque Estadual Carlos Botelho – Foto: reproduão Governo do Estado de SP

Na Serra de Paranapiacaba, a apenas 200 km da capital, este é mais um dos parques naturais de SP e fica em São Miguel Arcanjo. O local abriga florestas densas e bem preservadas, além de revelar uma incrível riqueza de fauna. Só lá, foram catalogadas 342 espécies de aves, 60 de mamíferos, 70 de anfíbios, 31 de répteis e 56 de peixes.

O parque é o lar do mono-carvoeiro (também chamado de muriqui-do-sul), o maior primata das Américas, do mico-leão-preto e da jacutinga. Ao visitá-lo, dá para entender por que as unidades de conservação da Mata Atlântica no Vale do Ribeira constituem o único patrimônio da humanidade localizado em São Paulo.

São 16 trilhas ao todo, com níveis variados de dificuldade e que você pode aproveitar para praticar corrida. A trilha das Bromélias é adaptada para pessoas com deficiência e pontua o caminho com as plantas que batizam este percurso. Orquídeas e o bosque de araucárias convidam para um piquenique no deque depois do treino. A da Cachoeira do Muriqui leva a uma queda d’água de 25m.

Serviço:
Endereço: Rodovia SP-139, km 78, Abaitinga, São Miguel Arcanjo
Valor: R$ 19
Tel.: (15) 3279-0483
Email: pe.carlosbotelho@fflorestal.sp.gov.br

Escalada no Monumento Natural Estadual da Pedra do Baú

O que fazer em São Bento do Sapucaí? Veja roteiro de escalada - Go Outside
Pedra do Baú, São Bento do Sapucaí. Foto: Shutterstock

Em meio à deslumbrante paisagem da Serra da Mantiqueira, um conjunto de rochas se destaca com imponência no município de São Bento de Sapucaí: A Pedra do Baú e suas “irmãs”, Bauzinho e Ana Chata. O local está inserido em meio à Mata Atlântica, com aspectos de vegetação de altitude e grande diversidade de fauna.

Para quem já escalou algumas vezes em paredes indoor e não tem (muito) medo de altura, o Complexo do Baú é o destino perfeito. Nas três grandes montanhas de pedra do Monumento Natural Estadual, (Bauzinho, Pedra do Baú e Ana Chata), há inúmeras vias de diversos graus de dificuldade e paredões de até 400 metros de altura.

Do alto da pedra, é possível ter uma bela vista da Serra da Mantiqueira, na região da divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais. A pedra é tão evidente na paisagem que chega a ser visível de diversas localidades do Vale do Paraíba, já tendo sido usada como instrumento de navegação geográfica.

Para aqueles que desejam começar a escalar em rocha, é possível fazer o curso básico de um final de semana que o escalador Eliseu Frechou dá na Escola de Escalada Montanhismus. Lá, você pode aprender as técnicas da escalada livre e rapel, os principais nós, a logística e os sistemas de proteção e segurança.

Serviço:
Endereço: Estrada Municipal do Bauzinho, km 6
Horário: 09:00 – 16:00 – seg a dom
Valor: R$ 10
Tel.: (12) 3663-1977
Email: mona.pedradobau@fflorestal.sp.gov.br

-Publicidade-