Tragédias no Himalaia: Alpinista morre no Everest e guia desaparece no Lhotse

Por Outside USA

tragédias himalaia
Foto: Shutterstock.

Um alpinista russo e um guia nepalês estiveram envolvidos em tragédias separadas durante um fim de semana movimentado no Himalaia

Mais uma fatalidade no pico mais alto do mundo. No domingo, autoridades nepalesas confirmaram a morte do alpinista russo, Pavel Kostrikin, de 55 anos, nas encostas do Monte Everest. De acordo com relatos, na noite de sábado, Kostrikin desmaiou e veio a óbito devido a altitude. A tragédia aconteceu no acampamento I, localizado a 17.585 pés.

+ Trilheiro raiz: ela foi pro Himalaia com equipamentos roots

+ Kami Rita Sherpa escala o Everest pela 26ª vez e quebra o próprio recorde mundial

+ Essa é a vista do topo do Monte Everest

Com o intuito de se preparar para ir ao cume no final da temporada, ele estava treinando em uma subida, quando começou a se sentir mal. Bhishma Kumar Bhattari, funcionário do departamento de turismo do Nepal, disse à Reuters que Kostrikin passou mal pela primeira vez no Acampamento II, localizado a 6.000 metros, e que, posteriormente, teve que ser ajudado no acampamento I, onde a tragédia aconteceu.

No domingo, um helicóptero transportou o corpo de Kostrikin para Katmandu. Segundo o jornalista Alan Arnette, o alpinista russo tentou escalar o Everest em 2013 e 2016, mas voltou atrás em ambas as ocasiões devido à exaustão.

Essa foi a segunda fatalidade na montanha este ano; em 15 de abril, o guia nepalês Ngimi Tenji Sherpa desmaiou e veio a óbito enquanto transportava suprimentos pela cascata de gelo de Khumbu.

Kostrikin fazia parte de uma equipe liderada pela empresa de expedição 7 Summits Club, operada pelo alpinista russo Alex Abramov – que ainda não comentou sobre a tragédia. No entanto, ele escreveu no Instagram que a expedição havia subido recentemente a 23.000 pés em sua caminhada final de preparação e estava indo para uma elevação mais baixa para descansar antes de avançar para o cume.

A morte foi a primeira de duas tragédias no Himalaia no fim de semana. Na tarde de domingo, o guia de escalada nepalês Khudam Bir Tamang, de 33 anos, foi levado por uma avalanche no Lhotse – que fica ao lado do Monte Everest – a 27.940 pés. O alpinista havia terminado de colocar as cordas no pico e estava descendo para o acampamento-base quando foi soterrado pouco abaixo de 6.000 pés. Seu parceiro de escalada, Pasang Rinzee Sherpa, escapou da avalanche e conseguiu voltar para Katmandu, confirmaram fontes a Outside.

De acordo com o Himalayan Times, na segunda-feira (9), as equipes realizaram uma busca aérea na região atingida pela avalanche, mas não conseguiram localizar Tamang nos escombros.

Ele fazia parte de uma expedição liderada pelo coreano Sung-Taek Hong para subir a íngreme face sul do Lhotse. Esta é a sétima tentativa de Hong de escalar a rota, considerada por alguns como uma das mais difíceis do mundo.

Várias expedições do Himalaia se aventuraram a altitudes mais altas no fim de semana para aproveitar a janela climática favorável. O tempo deve piorar no final da semana, já que um ciclone na costa da Índia deve soprar para o interior.

Os repórteres Ben Ayers e Dewan Rai contribuíram para este texto.

-Publicidade-