Poluição do ar pode reduzir expectativa de vida em cerca de 2 anos

Poluição do ar pode reduzir expectativa de vida em cerca de 2 anos
Foto: Unsplash

Além de contribuir para o aquecimento global, a poluição do ar também tem o potencial de causar diversos problemas à saúde, incluindo doenças cardiovasculares e câncer de pulmão. Mas isso não é tudo: ela também pode reduzir a expectativa de vida em cerca de dois anos, de acordo com uma nova pesquisa.

+ L’Étape Rio: RJ recebe evento do Tour de France neste fim de semana

+ Pelo olhar da corrida: maratonistas revisitam lugares importantes para o Brasil

+ Cientistas criam peixe-robô para limpar microplásticos dos oceanos

Assinado pelo Instituto de Política Energética da Universidade de Chicago (EPIC), nos Estados Unidos, o Annual Update (Atualização Anual, em tradução livre) de 2022 contém descobertas sobre o chamado “Índice de Qualidade de Vida do Ar”.

De acordo com a “Slice”, de onde são as informações, os resultados indicam que reduzir permanentemente a poluição do ar para atender às expectativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) adicionaria até 2,2 anos à expectativa de vida humana média.

Poluição do ar pode ser mais devastadora do que álcool e cigarros

Segundo o estudo do EPIC, a poluição do ar pode ser mais devastadora do que fumar cigarros e consumir bebidas alcoólicas. Isso porque a redução da expectativa de vida causada por fumar cigarros é de 1,9 ano e por beber álcool é de oito meses.

Nesse sentido, os efeitos devastadores da poluição do ar podem ser ainda piores nas regiões mais afetadas por ele, como no sul da Ásia — especialmente em Bangladesh, Índia, Nepal e Paquistão, segundo o portal. Os dados sugerem que, se a poluição fosse reduzida de acordo com as diretrizes da OMS nesses países, a população poderia viver até cinco anos mais.

Do mesmo modo, as regiões central e oeste da África — em países como República Democrática do Congo, Ruanda e Burundi — também são afetadas. Lá, mais de 97% da população é exposta a níveis de poluição que ultrapassam os níveis das diretrizes da OMS. Nessa região, a expectativa de vida média é 1,6 ano menor para os residentes e até cinco anos menor nas áreas com as maiores concentrações de poluição.

-Publicidade-