Parque Nacional do Iguaçu terá teleférico e memorial a Santos Dumont

Por redação

parque nacional do iguaçu
O Parque do Iguaçu é o segundo mais visitado em todo o país - Foto: shutterstock

O Parque Nacional do Iguaçu, que conta com as famosas gigantescas cataratas, agora ganhará um teleférico e um memorial dedicado ao pai da aviação brasileira, Aberto Santos Dumont.

+ Turquia inaugura ponte suspensa mais longa do mundo que liga Europa e Ásia

+ Air New Zealand lança um dos voos mais longos do mundo

+ Mais surf, menos guerra: As melhores ondas da Ucrânia

As novidades foram anunciadas na última terça-feira (22) pelo Governo Federal. Além disso, o lugar também receberá um novo sistema de transporte interno e a revitalização de acesso ao complexo.

Para colocar em vigor o pacote de atrações, também estão previstos serviços de polos de visitação, edifícios e instalações dentro do próprio parque nacional, segurança do patrimônio, aumento de vigilância e treinamento da brigada de incêndio do local.

O objetivo do projeto é ampliar o interesse de turistas pelo parque. Isso porque, geralmente quem chega ali busca conhecer apenas as cataratas e a intenção é direcionar as pessoas também a outros polos do parque, como Rio Azul e as Ilhas do Iguaçu – pontos não muito conhecidos. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o Polo Cataratas recebeu mais de dois milhões de visitantes em 2019. Enquanto isso, os outros pontos tiveram pouco mais de dez mil no mesmo período.

As obras ainda não tem previsão de conclusão, mas já se sabe que serão tocadas pela Consórcio PNI (união das empresas Construcap e o Grupo Cataratas S.A), que já operava no Parque Nacional do Iguaçu. A empresa venceu um leilão da concessão pública de serviços de visitação que aconteceu na última terça-feira (23) na Bolsa de Valores de São Paulo.

Durante os próximos 30 anos de concessão, cerca de R$ 3,6 bilhões devem ser investidos no complexo. Os dados são do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

O Parque Nacional do Iguaçu foi criado em 1939 e está localizado na fronteira entre Paraguai, Argentina e Brasil. Considerado Patrimônio Natural da Humanidade, o local é a maior reserva remanescente da Mata Atlântica, além de ser o segundo parque mais visitado em todo o país – perdendo somente para o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro.

-Publicidade-