O que é lipedema? Saiba que ela afeta uma em cada dez mulheres

Por Bianca Vilela

Foto: Shutterstock.

Emagrecer sempre foi uma tortura? Se você já tentou de tudo, incluindo dietas de vários tipos, mudança no estilo de vida e exercício físico diário, mas nunca conseguiu reduzir a gordura das pernas, você pode fazer parte da população que apresenta lipedema. Para este bate-papo, convidei o ginecologista, obstetra e expert em saúde da mulher, Dr. Fabiano Serra (@drfabianoserra).

Segundo o especialista precisamos entender o que é lipedema. Trata-se de uma doença crônica do tecido adiposo (gordura) que leva a um acúmulo de gordura nas nádegas, quadris e pernas, gerando uma desproporção entre parte superior e inferior do corpo e que não diminui de forma importante com a perda de peso.

Leia mais

+ Skincare: 5 erros comuns que podem piorar a saúde da sua pele

+ 5 atitudes para aumentar sua imunidade

+ Quais são os melhores suplementos esportivos para mulheres?

Ela pode causar também sensibilidade ao toque, manchas roxas, dor nas pernas e até distúrbios alimentares.

“Os gatilhos para o problema parecem ser todas as fases de grandes oscilações hormonais da vida da mulher como a puberdade, o uso de anticoncepcionais, a gravidez, o estímulo para reprodução assistida (fertilização in vitro) e a menopausa”, afirma o médico especialista.

O médico tem um papel fundamental e o diagnóstico é feito baseado na história da paciente, nos relatos e no exame físico. As causas ainda não são bem definidas, mas sabe-se que há componentes genéticos e hereditários.

Segundo Fabiano Serra, podemos classificá-lo em cinco tipos de acordo com a localização e em quatro estágios de acordo com a gravidade da doença.

O tratamento deve ser individualizado, seguindo a necessidade de cada paciente. Pontos importantes:

Inflamação: aqui a alimentação é ponto crucial! Reduzir alimentos inflamatórios, como açúcares, farinha branca, álcool, carne vermelha e laticínios com gordura farão muita diferença.

Dor: medicamentos analgésicos e outros suplementos podem facilitar a circulação e o bombeamento linfático.

Fluxo linfático: o uso de meias de compressão, associada às massagens de drenagem linfática e exercícios aquáticos são ótimas ferramentas.

Suporte emocional: fundamental o apoio dos familiares, informações sobre o tema e terapia.

Ajudar seu corpo a lidar com o lipedema: realize exercícios que melhorem a postura e fortaleçam a musculatura. Para alguns casos, a lipoaspiração poderá e deverá ser considerada.

O primeiro passo é o diagnóstico, por isso se observe e perceba se houve alguma mudança substancial em você.

BIANCA VILELA é autora do livro Respire, mestre em fisiologia do exercício pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), palestrante e produtora de conteúdo. Desenvolve programas de saúde in company em grandes empresas por todo o país há mais de 15 anos. Na Go Outside fala sobre saúde no trabalho, produtividade e mudança de hábitos. Instagram: @biancavilelaoficial.

-Publicidade-