Molecada do MTB mostra que idade não é documento para o Rocky Mountain Games

Por redação

Menores de idade só pagam 50% da inscrição no Rocky Mountain Games - Foto: Divulgação / Arquivo ZDL Sports

Nos dias 2 e 3 de abril, o Rocky Mountain Games (RMG), o maior festival de esportes de montanha do país, recebe a sua primeira etapa de 2022 na Pedra Grande, em Atibaia. O evento conta com modalidades que variam de mountain bike (MTB), corrida em trilha, canicross (corrida com cachorro) e Hike & Fly (trekking e parapente), e também vai passar por Campos do Jordão e Juquitiba (SP) ainda esse ano.

+ Uma roda, sem problemas! Ele vai encarar o Rocky Mountain Games de monociclo

+ Banco Master Rocky Mountain Games distribui R$ 20 mil em premiação

+ Dicas valiosas de Nathan Florence sobre o que fazer em situações críticas do surf

Uma das modalidades mais cobiçadas da primeira etapa é o mountain bike, que será disputado em duas distâncias (24, 50km). E para a felicidade da molecada – e de toda a família – idade não é limitação nenhuma para correr as provas da categoria. Aliás, muito pelo contrário. A organização incentiva menores de 18 anos e essa turma tem direito a 50% de desconto no valor da inscrição – assim como maiores de 60 anos.

Sem dúvidas, os atletas menores de idade chegam mais uma vez com muita determinação para encarar os desafios do MTB. O percurso mais curto, de 25km, mistura trechos de estradas de terra e algumas trilhas de pouca dificuldade técnica. No entanto, com desnível desafiador de 960 metros. E é exatamente esse trajeto que essa molecada vai encarar.

Para dar aquela força extra e mostrar que eles não estão de brincadeira, fizemos uma lista com alguns dos nomes que vão representar a nova geração:

Conheça 5 participantes do MTB no RMG que são menores de idade:

Luigi Caputo

Luigi é único menor de idade que vai encarar os 40km do mountain bike – Foto: arquivo pessoal

Filho da lendária Cris Carvalho, integrante da primeira geração de triatletas do Brasil, campeã mundial de Ironman, pioneira na corrida de aventura e de montanha no Brasil. O pai, José Caputo, também compartilha dessas credenciais e hoje é o nome à frente da assessoria Núcleo Aventura, fundada pela Cris, que faleceu em 2015. Luigi cresceu neste ambiente e aos 16 anos já tem mais experiência que muito adulto. Com essa idade, ele vai encarar o desafio dos 50km de MTB.

“Meu pai e minha mãe me apresentaram práticas esportivas muito variadas e assim eu passei a ter gosto pela coisa e me divertir fazendo”, conta Luigi, que vai correr o Rocky Mountain Games no Mountain Bike pela segunda vez.

Desde muito novo, ele participa do Acampamento Go Outside de Aventura – projeto que nasceu da amizade de sua mãe com a atleta de aventura Shubi Guimarães – e nesses encontros fez muitos amigos que também desfrutam da paixão pelas provas de mountain bike. Por isso, hoje esses jovens atletas treinam e se preparam juntos para os desafios dos circuitos.

“Agora eu to muito empolgado pro Rocky Mountain Games, porque eu já corri em 2019 e foi uma prova que eu gostei demais, por conta do astral que a arena passa, o astral que só o Rocky Mountain Games consegue passar”, conta. “Essa prova ainda tem um brilho a mais para mim, porque é na terra natal da minha mãe e dos meus avós, então eu vou com tudo, eu vou fazer força e vamos nessa!”, complementa Luigi com empolgação.

Caio Alzugaray

Caio durante prova de mountain bike do Rocky Mountain Games 2019 – Foto: Rosita Belinky

Caio é filho de dois ex-corredores de aventura, o idealizador do Rocky Mountain Games, Caco Alzugaray e a empresária de turismo de natureza Ana Góis Homa. Foi daí que ele herdou o gosto pelo outdoor e passou a praticar esportes como mountain bike e canoagem desde pequeno. Em 2019 Caio correu de MTB pela primeira vez o Rocky Mountain Games em Campos do Jordão, mas a estreia nas provas veio no dia dos pais em 2018, no Warm Up da Brasil Ride, em Ilhabela, aos 14 anos.

“Eu pessoalmente gosto muito mais de treinar em trilha do que no asfalto, porque te dá mais parâmetro para técnica, mas morando e estudando em São Paulo, a gente não tem muita escolha”, revela Caio.

No entanto, apesar de não ter a mesma paixão pelos treinos na cidade, ele participa de alguns treinos do Núcleo Aventura, se reunindo às quartas-feiras com os amigos na ciclovia da Marginal para um treino de força. “No terceiro ano [da escola], é muito difícil a gente arrumar tempo livre para treinar, então sobra mais fim de semana ou quando a gente encaixa um horário no meio da semana para o treino de quarta-feira”, explica.

Apesar de já ter participado de quatro provas, (incluindo a primeira edição do Rocky Mountain Games, em 2019) a pandemia deu a Caio poucas oportunidades de competir. Ainda assim, conseguiu emplacar uma etapa da Haka Race, que correu em dupla e ficou responsável por toda a navegação de mapas, num percurso que incluía corrida, mountain bike e canoagem. Segundo ele, quando se confirma o calendário de provas de aventura, vários dos seus amigos também se inscrevem e isso acaba por trazer motivação para os treinos. “Quando vê uma prova, a gente fecha junto e isso cria essa obrigação de treinar para não ir completamente despreparado”, conta.

Além das competições serem um bom indicador de evolução na modalidade, uma das maiores inspirações de Caio para participar das provas de MTB é o seu próprio pai. “Meu pai sempre competiu, tem um monte de prova na bagagem, sempre me estimulou e isso vem muito dessa influência dele”, conta ele que vai correr os 25km do MTB.

Nando Alzugaray

Nando já participou do Rocky Mountain Games 2019 na modalidade canicross – Foto: arquivo pessoal

Super habilidoso desde pequeno, Nando chamava atenção pela facilidade motora em diversas atividades. Jogou futebol na escolinha do Paris St Germain e do Barcelona até os 13 anos. A bike e os esportes de natureza sempre fizeram parte do seu dia a dia e dos finais de semana em Juquitiba, cidade perto de São Paulo, onde ele passa os finais de semana com a família e amigos.

“O que eu mais gosto desse clima competitivo é que eu faço um desafio comigo mesmo e fico determinado a cumprir esse desafio”, conta ele que em 2021, também participou da Haka Race (corrida de aventura) formando uma dupla com o pai, Caco Alzugaray, correndo, pedalando e remando. Sua estreia nas competições de montanha veio de forma divertida: En 2019 ele participou do Rocky Mountain Games na modalidade Canicross, correndo rápido com o seu border collie, Rocky.

Hoje ele está com 14 anos e treina bike nas subidas perto de casa, nas trilhas de Juquitiba e da Serra da Mantiqueira, além de investir nos treinos de fortalecimento e na prática do futebol. “A minha relação com a bike começou muito cedo, lá para os três anos de idade e como nossa família gosta de ir para fazenda treinar bicicleta e fazer esportes ao ar livre, é lá que está sendo o meu principal lugar de treino e o meu preparo para esta etapa na Pedra Grande”, conta. “O Rocky Mountain Games é um evento muito especial porque você não precisa fazer a prova e ir embora para casa, tem muitas coisas legais para fazer lá, sem contar que lá eu estou sempre rodeado de amigos e da família”, completa ele.

José Ribas

Ribas já disputou outras provas de MTB e vai correr os 25km de Atibaia junto com os amigos acima – Foto: arquivo pessoal

Assim como os outros meninos, Zé também é cria do Acampamento Go Outside de Aventura, projeto idealizado por Shubi Guimarães e Cris Carvalho, e hoje tocado por Shubi e os sócios Zé Caputo, Zé Pupo e Caco Alzugaray. Ribas, que hoje está com 17 anos, já disputou outras provas de MTB e vai correr os 25km de Atibaia junto com os parceiros de acampamento e amigos acima.

A sua relação com esportes de aventura começou aos 4 anos de idade. Desde então, Zé supera seus limites e se prepara para isso. Seu hábito de treino inclui pedal duas vezes na semana, treino com peso cinco vezes na semana e corrida uma vez. “Eu também sigo uma dieta com restrição calórica, porque eu sou pesado, então tenho que perder peso para as provas porque senão eu me dou mal”, revela ele.

Segundo Zé, ele sente prazer nas competições, porque além de competir com os outros, ele consegue se superar e ser melhor a cada prova. “O Rocky Mountain Games tem um clima mais amistoso e mesmo sendo uma prova que eu estou treinando para tentar ir bem, para mim tem um clima mais amigável e familiar e, por isso, mais divertido”, conta ele a respeito da competição.

Camilo Pupo

Sobrinho de José Pupo, um dos maiores nomes da canoagem no Brasil, corredor de aventura dos bons e um dos sócios do Acampamento Go Outside de Aventura, Camilo cresceu nos acampamentos e se tornou monitor desde julho do ano passado. Essa é a primeira vez que ele vai disputar o Rocky Mountain Games.

Nos últimos meses, ele vem se preparando para a competição, mas a sua relação com os treinos já existe há muito tempo. “Eu sempre gostei de praticar os mais diversos esportes. Meu tio foi corredor de aventura e ao longo dos anos eu fiz umas trilhas com ele, saí para pedalar e fui pegando gosto”, conta.

Depois de se tornar monitor no Acampamento Go Outside de Aventura, Camilo começou a se dedicar de verdade não só nos treinos, como também na dieta e nas questões psicológicas de atleta. Para o Rocky Mountain Games, o jovem está se preparando com a assessoria do Núcleo Aventura.

Segundo Camilo, o melhor da competição, não é nem competir contra os outros, mas sim desafiar a si mesmo. “Você poder vencer a cada dia, ter mais resultado, acordar no dia seguinte e ter vontade de superar o você do dia anterior”, conta ele.

Para o Rocky Mountain Games, Camilo conta que está animado para correr a prova ao lado dos seus amigos e do seu tio José Pupo. “Essa vai ser minha primeira prova então eu estou muito ansioso e estou me preparando bem. Vou dar o meu máximo”, completa.

-Publicidade-