No topo do planeta! Brasileiros chegam ao cume do Everest

Por redação

Ludmila Lucas se tornou a sétima mulher brasileira a conquistar o Everest - Foto: @gtarso_ / reprodução instagram ludmila

Os alpinistas brasileiros Joel Kriger, Ludmila Lucas, Gabriel Bassanesi e Gabriel Tarso chegaram ao cume do Everest no última final de semana! A notícia da conquista de peso ainda não tem muitos detalhes, mas já foi confirmada pelo portal de aventuras Extremos.

+ Quanto custa escalar o Everest 2022: veja gastos detalhados

+ Aretha Duarte é a primeira mulher negra brasileira a conquistar o Everest

+ Por que a escalada do Everest causa tantas mortes?

Entre eles, Joel Kriger, de 68 anos, foi o primeiro a alcançar o topo do planeta Terra às 3h40 (Nepal) e se tornou o brasileiro mais velho a chegar lá. “Parabéns por esse feito e toda a lição de vida que você traz. Agora é focar na descida para contar mais essa história para a sua família, amigos e fãs”, anunciou o post feito pela equipe de Kriger.

Depois chegou o casal Ludmila Lucas e Gabriel Bassanesi e a notícia foi comemorada pela grande alpinista brasileira Aretha Duarte, nas redes sociais.

“É CUMEEE da sétima mulher do Brasil!!! Estou muito feliz pela chegada da @ludporai ao topo do Everest nesta madrugada!!! Eu a conheço de perto desde que escalamos o Aconcagua, quando ela tinha recém casado com @gbassanesi com quem também seguiu viajando e se preparando para os grandes desafios em montanha”, escreveu Aretha na legenda da publicação.

Para trazer ainda mais orgulho aos brasileiros, a Elite Exped também confirmou a chegada de Gabriel Tarso pela segunda vez ao topo do Monte Everest. Outro alpinista que deve conquistar a montanha é Carlos Canellas, que está no Campo 4, a 8.000 metros, e a qualquer momento parte para o ataque ao cume do Everest, sem uso de oxigênio engarrafado.

Monte Everest

O Monte Everest foi escalado 10.657 vezes desde que os primeiros alpinistas chegaram a seu topo, em 1953, tanto do lado nepalês quanto do tibetano. Ao todo, 311 pessoas morreram até agora, de acordo com o banco de dados do Himalaia.

A última morte foi confirmada neste domingo (8). As autoridades nepalesas informaram que o alpinista russo Pavel Kostrikin morreu no acampamento I do Monte Everest. Trata-se do primeiro óbito de um estrangeiro nesta temporada de escalada.

“O alpinista russo adoeceu no Acampamento II e morreu depois de ser levado para o Acampamento I”, disse Bhishma Kumar Bhattarai, funcionário do Departamento de Turismo do Nepal.

O acampamento II na rota normal do cume sudeste no Everest está localizado a uma altura de cerca de 6.400 metros.

 

-Publicidade-