Francês salta 765 vezes de bungee jump em 24 horas e bate recorde mundial

Por Redação

bungee jump
Foto: Highland Fling Bungee/PA

O francês François-Marie Dibon estabeleceu um novo recorde mundial com o maior número de saltos de bungee jump em um período de 24 horas.

Dibon fez 765 saltos em uma ponte em Pitlochry, Perthshire, na Escócia, ultrapassando facilmente o recorde anterior, que pertencia ao neozelandês Mike Heard com 430 saltos em 2017.

Leia mais

+ Um hiking de 150 quilômetros pelas montanhas históricas da Escócia

+ Quem são os favoritos para conquistar o Tour de France 2022?

+ Garden Route: uma aventura no coração da África do Sul

A façanha teve início na manhã da última terça-feira (31). Dibon precisou de apenas 12 horas de salto para quebrar a marca anterior.

Depois de um descanso de 50 minutos, ele continuou a saltar durante toda a noite antes de concluir o trabalho na manhã desta quarta (1º).

Dibon, que trabalha como atuário na Suécia, já havia falado sobre como o bungee jumping o ajudou a superar seu medo de altura. Ele disse que escolheu a Escócia devido ao amor pelo país e seu povo.

Cada salto, de uma altura de 40 metros, foi supervisionado pela Highland Fling Bungee, com sede em Killiecrankie, Pitlochry. Joanne Brent, a juíza do Guinness World Records que verificou o recorde, disse que o esforço de Dibon foi “inspirador”.

“Eu me sinto ótimo, muito feliz. Sinto-me grato pela equipe que esteve ao meu redor nas últimas 24 horas, que me trouxe sua energia que me manteve até o fim”, comentou Dibon ao jornal The Guardian.

Dibon disse que não tinha dúvidas de que seria capaz de quebrar o recorde, mas ficou surpreso com a rapidez e o número de saltos com que superou a marca anterior.

“Era nosso objetivo ir além, mas não tanto. Sabíamos o que poderíamos fazer, mas nunca treinamos tanto ou por tanto tempo… mas tínhamos a mentalidade. Então, quando começamos ontem, não nos perguntamos nada, estávamos apenas no momento.”

Para Dibon, o momento mais difícil durante as 24 horas foi pular nas condições duras que o clima escocês oferece. “Acho que foi a chuva [foi a parte mais difícil] – estava muito frio, mas isso era esperado, é claro”, disse Dibon. “Mas fora isso, nada foi realmente difícil. Correu tudo bem, tivemos muita sorte.”

Além de comemorar com sua equipe, Dibon agora planeja relaxar. “Meu corpo merece muito descanso, então vou fazer isso”, disse ele. “Vou comemorar com minha equipe, é claro, porque eles deram muito e realmente merecem esse recorde também, é um recorde coletivo.”

-Publicidade-