Guia dos Jogos de Inverno: tudo sobre o esqui alpino em Pequim

Por Redação

Guia dos Jogos de Inverno: tudo sobre o esqui alpino em Pequim | Go Outside
Foto: Shutterstock

O esqui alpino é mais um dos mais tradicionais esportes dos Jogos Olímpicos de Inverno, já que faz parte das Olimpíadas desde 1936, na edição de Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha. Em Pequim 2022, entre 4 e 20 de fevereiro, Michel Macedo vai representar o Brasil nas disputas da modalidade, que acontecerão no novo Centro Nacional de Esqui Alpino, no Distrito de Yanqing.

Entenda tudo sobre o esqui alpino nos Jogos de Inverno (e confira todos os nossos guias das modalidades de Pequim 2022 aqui):

+ Jogos de Inverno 2022: Tudo o que você precisa saber sobre as Olimpíadas de Pequim
+ Guia dos Jogos de Inverno: tudo sobre esqui cross-country em Pequim
+ Guia dos Jogos de Inverno: tudo sobre bobsled em Pequim

No esqui alpino, os competidores descem uma pista e devem realizar passagens obrigatórias entre marcações, chamadas de portas, que sinalizam mudanças de direção. Dentro do esporte, há dois tipos de eventos: de técnica e de velocidade.

Os eventos de velocidade são o downhill e slalom super gigante (ou super G). Já os técnicos são o slalom gigante, slalom e slalom paralelo de equipes mistas, que estreou nos Jogos de PyeongChang em 2018. Existe também o evento combinado, que junta os dois tipos.

Nas provas de velocidade, os esquiadores descem a pista, que tem descidas íngremes nas quais os atletas podem chegar a até 150km/h, o mais rápido possível. Já nos técnicos, a pista é menor, assim como o intervalo/distância das portas, e as velocidades são reduzidas, exigindo dos esquiadores mais técnica para passar pelas marcações obrigatórias.

As provas do esqui alpino nos Jogos de Inverno de Pequim

Entenda como acontece cada evento da modalidade, de acordo com a Organização das Olimpíadas e a Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN):

  • Downhill: feminino e masculino. Os esquiadores descem no circuito mais longo e com as portas mais espaçadas (aprox. 60 metros). É a disciplina de maior rapidez (dentro do esqui alpino de velocidade) e consiste em uma única descida realizada após o treino obrigatório em pista. Os atletas alcançam velocidades de até 150 Km/h e frequentemente realizam saltos entre de 40 e 60 metros de distância. Demanda técnica, estabilidade, resistência e velocidade;
  • Slalom super gigante (ou super G): feminino e masculino. Evento que combina a velocidade do downhill com a precisão do slalom gigante. Disciplina de alta velocidade, porém com a pista um pouco menos longa. Assim, os atletas realizam o circuito entre 90 e 110 Km/h com espaçamento de aprox. 40 metros entre as portas. As demandas são as mesmas do downhill, porém com menos ênfase na velocidade e um pouco a mais na técnica;
  • Slalom Gigante: feminino e masculino. Os atletas devem devem seguir o percurso marcado sem falharem qualquer porta. Demanda dos atletas grande precisão, agilidade e potência para passarem por entre as portas espaçadas por aprox. 25 metros. Assim, a velocidade dos esquiadores varia entre 60 e 80 km/h e o resultado final é composto pela soma de duas descidas com percursos distintos;
  • Slalom (ou slalom especial): feminino e masculino. Composto por um circuito no qual as portas apresentam uma distância de aprox. 13 metros entre si. Com uma variação de velocidade de 40 a 50 km/h, os atletas devem demonstram altos níveis técnicos e de agilidade para conseguir uma boa performance na disciplina. O vencedor é determinado pelo tempo somado das duas provas e o mais rápido ganha;
  • Combinado alpino: feminino e masculino. Em Pequim, este evento terá uma vertente rápida composta por um downhill, seguida por um slalom, com as duas competições a acontecerem no mesmo dia. O vencedor é determinado pelo tempo cumulativo de ambas as provas;
  • Slalom paralelo de equipes mistas: evento estreado em PyeongChang 2018 que envolve quatro esquiadores por país, dois homens e duas mulheres. Os atletas competem em pistas idênticas, montadas paralelamente. A competição começa nas oitavas de final, antes das quartas de final, semifinais e final.

Brasil no esqui alpino de Pequim 2022

O cearense Michel Macedo, atualmente dono dos melhores resultados da história do esqui alpino nacional, vai representar o time Brasil nos Jogos de Inverno deste ano. Dia 2 de janeiro, o atleta levou a medalha de ouro na prova de slalom do esqui em Proctor, nos Estados Unidos. Confira um breve perfil do esquiador:

Michel Macedo
Nome completo: Michel Macedo
Data de nascimento: 23/09/98 (23 anos)
Local onde nasceu: Fortaleza, Ceará
Altura: 1,69m
Peso: 77kg
Provas: Slalom / Slalom Gigante
Participações em Olimpíadas de Inverno: PyeongChang 2018

Programação do esqui alpino de Pequim 2022

  • 06/02 (domingo): Downhill masculino
  • 07/02 (segunda-feira):Slalom gigante feminino
  • 08/02 (terça-feira): Super-G masculino
  • 09/02 (quarta-feira): Slalom feminino
  • 10/02 (quinta-feira): Combinado masculino
  • 11/02 (sexta-feira): Super-G feminino
  • 13/02 (domingo): Slalom gigante masculino
  • 15/02 (terça-feira): Downhill feminino
  • 16/02 (quarta-feira): Slalom masculino
  • 17/02 (quinta-feira): Combinado feminino
  • 19/02 (sábado): Slalom paralelo de equipe mista

Confira os horários (locais) das disputas aqui.

-Publicidade-