Entenda por que aliar meditação à corrida pode trazer benefícios extras

Por redação

Para melhorar seu desempenho no esporte e na vida, é preciso aliar o corpo físico e mental - Foto: shutterstock

Corrida e meditação aparentemente não tem nada em comum. No entanto, ambas são atividades individuais que exigem dedicação e para, de fato, conseguir evoluir nessas práticas é preciso ter constância e torná-las um hábito.

+ 3 dicas para lidar melhor com a dor da corrida e superar os limites

+ Meditação: saiba como começar e manter o hábito para favorecer a saúde mental

+ Mulheres se tornam surfistas e iniciam revolução de liberdade no Sri Lanka

Tanto o ato de meditar, quanto correr dependem muito do estado mental do praticante. Por isso, unir as duas práticas pode trazer um ganho extra a quem corre e a quem medita.

Isso porque, o exercício oxigena a mente e faz com que a meditação flua melhor. E no caso da corrida, a prática da meditação pode ajudar a trazer mais foco e a se concentrar mais no momento presente, de forma a deixar de lado os pensamentos aleatórios que acabam dificultando, principalmente, os percursos de longa distância.

Além disso, outra vantagem da percepção física e mental que a meditação proporciona é como lidar com a dor física da corrida. Isto é, por mais bem treinado que o praticante seja, sabe-se que correr dói, mas a diferença passa a ser como a pessoa lida com esse incômodo.

Para puxar a melhora na performance da corrida, meditar pode trazer, por exemplo, a consciência de que apesar da dor, aquele pode não ser o seu real limite físico. Ou no caso de pessoas competitivas que costumam extrapolar os limites do corpo, o hábito da meditação pode ajudar a reconhecer o momento de parar.

Hoje, é de conhecimento comum que todos os atletas que querem evoluir precisam trabalhar não só o corpo, como também a mente. Nesse contexto, surge a corrida meditativa, uma alternativa que une as duas práticas para que se potencialize ainda mais os seus benefícios. Saiba como praticar:

Postura é ponto chave

Antes de correr, sente-se em algum lugar confortável e preste atenção para deixar a coluna ereta. Dessa forma, o ar consegue passar tranquilamente desde a base da sua coluna.

Respiração consciente

Pelo nariz, inspire e expire de forma a prestar muita atenção no ritmo da respiração. Outra forma, é trazer o seu foco ao tempo da respiração. Por exemplo, inspire em 4 segundos e expire no mesmo tempo.

Deixe os pensamentos virem e irem embora

Aquela conversa de que meditar é deixar a cabeça totalmente vazia, é uma espécie de lenda. Os pensamentos vão e vem, por isso, não os julgue, mas saiba desapegá-los. Concentre-se nisso por alguns minutos.

Perceba o chão

Ao levantar, sinta como é o solo que você está pisando. Leve toda a sua atenção a terra e perceba como você já está se tornando mais consciente de si.

Alongue-se

Agora com a mente mais centrada, busque exercer todas essas técnicas enquanto você se alonga e sinta como o corpo se torna mais elástico a cada respiração.

Corra consciente

Ao iniciar a corrida, perceba como o seu corpo já está mais conectado com o momento presente a partir do seu ritmo de respiração e dos seus movimentos.

Atenção ao ambiente

Faça uma espécie de Raio-x no ambiente em que você está correndo. Se for na natureza, sinta a energia e a abundância. Se for na esteira ou em local fechado, perceba como o ar daquele lugar nutre a sua vida. A respiração é sempre uma grande chave.

Deixe os pensamentos vir, mas permita-se voltar a respiração

Entenda que é natural a sua mente tentar conversar com você, resgatar obrigações e preocupações. Aceite isso, mas não se apegue e deixe que os pensamentos irem embora. Volte-se para dentro, para o ritmo da sua respiração e lembre a si mesmo que você pode resolver outras questões depois dessa prática.

Quando parar de correr, volte a sua respiração normal

Quando você se der por satisfeito nesse exercício, pare de correr e, lentamente, volte a sua respiração natural. Perceba os batimentos cardíacos abaixarem e respire profundamente.

 

-Publicidade-