Depois de ouro inédito, Marina Dias fica com o bronze no mundial de paraescalada

Por Redação

marina dias
Marina Dias em ação na Copa do Mundo de Paraescalada em Innsbruck. Foto: IFSC.

A atleta paulista Marina Dias, conquistou ontem mais uma medalha na Copa do Mundo de Paraescalada que aconteceu na cidade austríaca de Innsbruck.

Com a medalha, ela se mantém na primeira colocação do ranking, faltando uma etapa para o fim do circuito.

Com o Ouro na primeira etapa, em Salt Lake City, a expectativa de medalha nesta etapa era grande, mesmo com novas atleta entrando na disputa.

Nas qualificatórias Marina foi mais uma vez muito bem, fazendo Top em uma das vias e 42+ na outra, classificando-se para a final empatada em terceiro lugar.

Leia mais

+ O que fazer em São Bento do Sapucaí? Veja roteiro de escalada

+ 4 dicas para ultrapassar limites na escalada esportiva

+ Como evitar as dores mais comuns de cada esporte

Na final, com 4 atletas, Marina foi a segunda a escalar e assumiu a liderança ao superar a atleta da Holanda, Christiane Luttikhuizen. Com o terceiro lugar garantido restava a Marina esperar pelo resultados das duas últimas atletas a competir.

A alemã Rosalie Schaupert veio em seguida e superou o score de 47+ de Marina, alcançado 49+. Todas foram superadas pela britânica Leanora Volpe, que fez Top na via e ficou com o Ouro nesta etapa.

Marina se despede da Copa do Mundo de Paraescalada este ano, mas já com os olhos em 2023, no Mundial de Paraescalada em Bern, na Suiça. Com os dois ótimos resultados a atleta se coloca como uma das favoritas por medalhas no principal evento da categoria.

Marina Dias

Marina Dias é natural da cidade de Taubaté, São Paulo, e tem 39 anos. Professora universitária, ela foi diagnosticada com esclerose múltipla em 2009, doença que causou um comprometimento da força e coordenação do lado esquerdo do seu corpo.

Em 2018 ela começou a escalar e encontrou no esporte uma forma de manter um estilo de vida saudável, que tem garantido uma rotina com poucos surtos da doença, juntamente com o tratamento que retomou em 2020, após sua última crise.

Foi também em 2020 que Marina participou da sua primeira competição de Paraescalada, no Campeonato Brasileiro da categoria. Desde então tem competido em todas as edições do brasileiro da modalidade.

Paraescalada Paralímpica

Com a Escalada Esportiva fazendo parte dos Jogos Olímpicos e garantida em mais duas edições, a IFSC agora vive a expectativa da inclusão da Paraescalada nos Jogos Paralímpicos de Los Angeles em 2028.

A decisão final deve vir no começo de 2023 e pode alçar a modalidade a outro patamar. Com a inclusão a ABEE poderá firmar convênio com o Comitê Paralímpico do Brasil e garantir exclusivos para a Paraescalada.

-Publicidade-