Cicloturismo: como se preparar para sua primeira viagem de bike

Por Mariana Broggi

primeira viagem de bike
Além do planejamento da viagem, não esqueça de treinar o corpo para o desafio de cicloturismo - Foto: shutterstock

Para alcançar o sucesso em sua primeira viagem de bike é fundamental planejar todos os detalhes do desafio. Roupas adequadas, mantimentos, a escolha e revisão da sua bicicleta são alguns dos pontos de maior importância. Além disso, dependendo do tipo de percurso e local de destino, alguns cuidados podem ser diferentes.

+ 5 motivos para você viajar de bicicleta pela Patagônia

+ Veja rotas para explorar a Itália de bicicleta

+ 8 percursos de bike para fazer um verdadeiro ‘Tour de Brasil’

Primeiramente, é imprescindível fazer uma pesquisa minuciosa sobre o trajeto. Isso porque, diferentes tipos de terrenos e dificuldades como buracos, pedras ou até mesmo condições climáticas desfavoráveis também exigem preparação, como roupas térmicas, equipamentos e acessórios específicos.

Vale lembrar que não é só a distância que dita o nível de dificuldade da viagem. A altimetria, isto é, o quanto tem de subidas e descidas no percurso também é fator determinante. Quanto maior a altimetria, mais desafiador será.

Chico Santos é atleta de trail, treinador e organiza viagens de bike em grupo. Segundo ele, para suportar a missão da longa travessia de bicicleta, o preparo físico é fundamental. “A primeira coisa que a pessoa tem que pensar é a na parte física dela, para que ela consiga se deslocar sem sofrer muito”, explica. Portanto, além de preparar a viagem, não esqueça de treinar o corpo!

Se você quer encarar a sua primeira viagem de bike, dê uma olhada nessas dicas que podem ajudar nessa aventura!

Tipos de bicicleta

Escolher a bicicleta ideal depende muito do tipo de terreno que você vai percorrer. Chico explica que para estradas de terra e trilhas as mountain bikes são ideais, mas é preciso ter atenção em alguns detalhes. “Se você pega trilhas e single tracks é necessário pensar em uma mountain bike cabo duro, com suspensão na frente, ou a full suspension, que é com duas suspensões e traz mais conforto para a pessoa consegue curtir mais”, explica.

Outra opção que tem ganhado mais adeptos entre os cicloturistas são as bicicletas gravel. Elas lembram os modelos de ciclismo de estrada e contam com guidão baixo, freio a disco e, portanto, pneus mais largos. Algumas gravels não têm câmera no pneu, o que facilita a troca em caso de furo. No entanto, Chico explica que esse tipo de bike é melhor para terrenos com predominância de asfalto. Outra bicicleta boa para esse tipo de terreno são as bicicletas speed.

+ 8 dicas para iniciantes no mountain bike

Revisão completa na sua bike

Independente de ser a primeira viagem de bike ou não, um checklist de segurança no seu meio de transporte escolhido não é só fundamental, como obrigatório. “Freios, pneus e marchas devem estar em dia, além da lubrificação que envolve passar graxa nos rolamentos”, afirma Chico

Independente de qual bicicleta você use, uma manutenção completa que envolve ajustes no guidão, lubrificação da corrente, calibragem dos pneus, regulagem dos freios e ajustes do quadro e garfo devem estar absolutamente em dia. Esse cuidado serve para identificar possíveis defeitos e evitar grandes problemas enquanto você estiver na viagem.

No entanto, as vezes, mesmo com a bike ideal, com ajuste no selim (o assento da bike) e todos os reparos feitos, pedalar ainda sim pode ser desconfortável e trazer dores. Por isso, outra dica boa é o serviço Bike Fit. Trata-se de uma técnica que consiste em ajustar a bicicleta para o biotipo do ciclista, levando em conta suas medidas, capacidades e demandas.

Acessórios úteis

Mesmo quem segue todos os preparativos para uma viagem de bike ainda tem grandes chances de lidar com os mais diversos imprevistos. Afinal, se já não temos todo o controle sob nossas mãos em contexto nenhum, quem dirá numa aventura desse tipo. Por isso,  primeiramente, lembre-se que levar muita coisa pode acabar atrapalhando e ser minimalista é fundamental.

Uma das complicações mais comuns de uma viagem de bicicleta é furar o pneu. Para isso, Chico conta que costuma levar duas câmaras de ar sobressalentes para as viagens e recomenda isso para todos os ciclistas que participam das suas travessias em grupo. Também é imprescindível óleo de corrente e uma chave Allen, que seja completa e tenha chave de fenda e de corrente – mas é importante saber usar ou estar na companhia de alguém que saiba.

Outra tendência muito usada em viagens de bicicleta são as bolsas específicas de bikepacking, assim como os alforjes tradicionais. No entanto, a primeira opção fica fixada no quadro da bicicleta e respeita a aerodinâmica, além de contar com uma gama de variedades de opções.

“Se a pessoa tiver fazendo uma viagem sozinha é necessário alforje, mas hoje em dia existem mochilas maiores que eu acho mais fácil de carregar, principalmente porque você consegue se movimentar melhor em cima da bike e tem um cinturão para fechar em cima”, conta Chico sobre outra boa alternativa.

Escolha roupas adequadas

Já falamos que pesquisar a condição climática do local de viagem é fundamental para estar protegido e confortável. Então não esqueça de se atentar ao clima daquela época do ano no trajeto percorrido. “Quando você passa de 1500 metros de altitude você tem uma mudança climática brusca em pouquíssimo tempo”, explica Chico. Nesse caso, mesmo se você estiver em um local com 15ºC , o deslocamento da massa de ar é muito grande, o que aumenta a sensação térmica de frio. “Para algumas pessoas é necessário usar roupas como se estivessem em ambiente a 0ºC”, completa ele sobre esse tipo de condição de lugares como a Patagônia.

O ideal é levar a menor quantidade possível de roupas, mas pense sempre em imprevistos como condições de chuva. Hoje em dia, existem camisas, calças e bermudas que garantem proteção térmica e você pode levar um corta vento e um cachecol. Para sua primeira viagem de bike, será necessário investir em alguns itens.

Além disso, as vestimentas técnicas próprias para ciclismo são feitas com tecido tecnológico e podem ser uma verdadeira mão na roda, independente do clima. Com tamanho reduzido, as peças são laváveis e secam muito rápido. Uma dica é usar durante o dia e lavar a noite, assim quando você for sair no dia seguinte, ela já estará seca. Alguns modelos de camisas de ciclismo também contam com um bolso na parte traseira que alocam outros itens sem atrapalhar a pedalada.

Quanto as bermudas, algumas têm tecido acolchoado e trazem mais conforto, por isso são excelentes opções. Ainda sim, os chamois, uma espécie de vaselina, também é um item complementar chave para não assar as nádegas durante os longos percursos.

Também são interessantes os bretelles, que são bermudas com suspensórios que ajudam a manter a peça na posição certa.

Calçados devem ser fechados e seguros. Alguns ciclistas viajantes podem gostar de sapatilhas ao invés de tênis. Elas fornecem uma proteção melhor, afinal são feitas especialmente para andar de bicicleta de forma confortável, segura e ainda oferecem o encaixe perfeito nos pedais.

Não se esqueça dos equipamentos de proteção

Vale lembrar que estamos falando de viagem de bicicleta e exige atenção em todos os cuidados possíveis. Por isso, como é de se esperar, o capacete é o item mais essencial para a proteção em casos de acidentes. Hoje em dia, existem opções bem tecnológicas que garantem a transpiração da cabeça.

Apesar de muita gente não gostar, as luvas propícias para bikes devem te acompanhar durante todo o trajeto. A mão é a primeira parte que o ciclista apóia ao cair, por isso, ela vai te proteger de qualquer queda boba que seja.

Durante a viagem, o ciclista tende a ficar muito exposto a luz solar. Por isso, os óculos de ciclismo são ideais. Além disso, eles protegem também caso qualquer inseto, pedra ou objeto voe e esbarre nos seus olhos. Chico também alerta que no Brasil não dá para esquecer do protetor solar!

+ Qual o melhor capacete para bike? Veja 4 ótimos modelos

Priorize mantimentos simples e nutritivos

Imagine o quanto de energia não se gasta durante uma viagem de bicicleta. Por isso, é preciso lembrar que a alimentação é fundamental para suportar melhor o percurso e os desafios. Mesmo assim, Chico traz dicas importantes.

“O ideal é a pessoa consumir o que ela está habituada a consumir nos momentos que ela está praticando, seja na preparação ou prática do dia a dia”, aconselha ele. No entanto, vale destacar a importância de alimentos saudáveis para suprir as necessidades da aventura. “Frutas frescas, frutas secas, grãos para misturar e fazer um mix e gel de carboidrato, que hoje é um item muito usado são boas opções”, indica Chico.

Também é fundamental levar itens que não precisam ser preparados e contam com uma maior durabilidade. Outra alternativa são sanduíches com itens mais “light”, explica o treinador. Ricota com cenoura, espinafre, pasta de atum, hommus, pasta de berinjela podem ajudar nos primeiros dias de viagem. Além disso, beliscos como paçoca e bananada podem te dar a energia extra.

Viagens em grupo!

Não existe nada mais gostoso do que compartilhar aventuras ao lado de pessoas que estão na mesma disposição. Esse é um dos muitos motivos para escolher uma travessia em grupo, principalmente para a primeira viagem de bike. Além disso, ao lado do organizador certo, o cicloturismo se torna, principalmente, mais seguro.

Chico Santos oferece diversos roteiros com toda a estrutura de apoio. A próxima aventura sairá de Visconde de Mauá, município de Resende, com destino a Tiradentes, em Minas Gerais. O cronograma conta com pedalada de travessia entre os dias 20 a 26 de maio e depois com mais três dias (27, 28 e 29) de atrações como trekking, cachoeiras e visitas a museus e igrejas.

O trecho da travessia de bicicleta é 90% composto por estrada de terra, portanto, trata-se de um trajeto ideal para mountain bike. São 280km de distância e altimetria de 4000 metros. Ao longo da jornada, os ciclistas passarão por lugares paradisíacos. Além de Mauá, são eles: a Bocaina de Minas, Bom Jardim de Minas, Ibitipoca, Ibertioga, Barroso e, por fim, Tiradentes. O pacote inclui transporte do Rio de Janeiro até Visconde de Mauá, transporte de retorno de Tiradentes, lanche durante o pedal, hospedagem de 8 noites, além de toda equipe de guia, apoio e segurança.

Serviço mountain bike Mauá x Tiradentes

Data: 20 a 28 de maio de 2022

Distância: 280 quilômetros em estrada predominante de terra

Altimetria: 4000+

Onde: Visconde de Mauá (RJ) até Tiradentes (MG)

Organizador: Chico Santos

6 dias de pedal, trekking na Serra de São José, cachoeiras e visitas a museus e igrejas

Telefone para contato: (21) 98687-3384

Consulte mais informações aqui.

 

 

 

 

 

 

-Publicidade-