Afinal, música e corrida combinam?

Por Cacá Filippini

Foto: Shutterstock.

Eu, Cacá Filippini, sempre digo que se preparar para uma maratona é também uma grande imersão no mundo da música! Mas há quem diga que a música pode interferir no treino de forma negativa.

Não é de hoje que esse assunto divide opiniões, mas a ciência diz que a música pode – sim – ser benéfica! Mas para isso precisamos considerar alguns fatores:

Leia mais

+ Para começar a correr, é preciso estar preparado

+ Os benefícios da corrida para a saúde mental

1. Segurança

A corrida tem que nos dar prazer e não nos colocar em risco. Quando corremos nas ruas, precisamos estar duplamente atentos, seja por onde pisamos ou por onde cruzamos. Ruas têm pessoas, desníveis, carros, motos e tudo pode acontecer. Infelizmente, até ser surpreendido por um assaltante.

Como a música nos transporta para outros lugares e, dependendo do volume, não nos deixa ouvir “alarmes sonoros”, correr de fone, nos deixa mais vulneráveis. Inclusive, vale dizer que diversas provas ao redor do mundo não permitem que os participantes corram com fones de ouvido.

2. Ritmo

Sem dúvida a música determina nosso ritmo. Não dá pra ter velocidade ouvindo uma música lenta. Por isso, é possível encontrar em aplicativos de música “playlists” divididas em frequências cardíacas ou paces.

Se o treino for mais de boa, opte por músicas que seguem esse ritmo. Às vezes, sem perceber, aceleramos mais do que era preciso por conta de uma batida musical e isso pode atrapalhar todo nosso rendimento. Assim, como o inverso. Então, escolha antes o que vai ouvir e se tiver um tempinho, construa sua própria “Playlist”. Eu mesma estou fazendo a minha, pensando nos 42k em NY. Aceito sugestões, tá?!

3. Motivação

Somos seres humanos e com um turbilhão de hormônios e sentimentos. Não à toa, temos dias menos fáceis que outros. E nesses dias, ter algo que eleva o nosso ânimo, é essencial para mantermos a rotina.

Assim como entramos no carro e ligamos o som para encarar o trânsito… Por que não fazer o mesmo naqueles dias que a preguiça bate ou o desânimo te leva a questionar se vai ou não treinar? Nesses dias, me cerco com músicas animadas, desde a hora do banho, do pré-treino e claro, da corrida.

4. Fôlego extra

De acordo com estudos, a música pode reduzir a percepção de intensidade dos exercícios em cerca de 10%, fazendo o corredor diminuir a sua noção de esforço, distraindo-o da dor, do cansaço, da tensão e aumentando sua resistência.

Mas é bom lembrar que correr ouvindo música deve ser um hábito que leve em consideração o estilo de cada pessoa e o seu grau de concentração na atividade. Há quem prefira correr ouvindo o mundo ao seu redor ou até mesmo, refletindo sobre a vida ou determinados assuntos.

Geralmente em dias de provas, uso apenas um fone com música mais baixa, para que possa ouvir o que me cerca e se preciso, me afugentar no universo musical.

Enfim, corrida e música podem andar de mãos dadas — se você quiser. A música definitivamente tem seu espaço (e ritmo!) no nosso esporte. Então, use-a com sabedoria!

-Publicidade-