FELIPE BAENNINGER

“O Presente perfeito”


Toda grande jornada começa com um único passo. No caso do fotógrafo paulistano Felipe Baenninger, 30, aconteceu com uma pedalada, no dia 1º de junho de 2013, no Rio Grande do Sul. Dali, ele serpenteou as estradas de 26 estados do país até o extremo norte, girando sua bike e registrando a relação do povo brasileiro com as bicicletas. No esquema baixo custo e alta disposição, Felipe concretizou a missão de fazer cerca de 40.000 km três anos depois.Todo o projeto, que ganhou o nome de “Transite”, se deu graças a um bem-sucedido financiamento coletivo online, culminando com o lançamento do fotolivro da aventura – um lindo registro físico da empreitada, com 60 relatos escolhidos entre mais de 500. O assunto segue instigando Felipe, que se mantém conectado ao movimento das bikes, agora com uma boa coleção de histórias.

“NA VIAGEM pelo Brasil acabei passando pela Bahia – como não ia fazer isso!? Lembro bem, eu estava me aproximando de Itacaré e tinha duas opções: encarar uma serra bem íngreme pela estrada, o trajeto mais comum, ou então se embrenhar em uma área de fazenda com vegetação mais baixa, cruzar um mangue e chegar a uma pequena vila de pescadores remota. Dali eu seguiria pela areia batida. Lógico que escolhi o segundo caminho, o mais difícil.

A chance de mais surpresas e emoções é maior. Atravessar um mangue nunca é fácil. Com uma bike carregada, pior ainda. Precisei fazer algumas viagens com a lama na altura dos joelhos para dar conta do recado. Em uma delas, com minhas Havaianas na mão, acabei vacilando e deixei cair um pé. Não tinha o que fazer. Nem tempo para lamentar. Acabei guardando o outro pé e tocando para frente.O importante, aprendi na jornada, é sempre seguir viagem. No meu caso, descalço.

Só fui chegar a Itacaré à noite e ainda tive de encarar uma travessia de barco. Andando pelo pedaço com os pés no chão, enxerguei um letreiro de neon de uma sorveteria. Juntei umas moedas e pensei: ‘Estou descalço, sujo e cansado; mereço um sorvete!’. Encontrei por ali, sem querer, um amigo, também viajante. Ele acabou me hospedando aquela noite e, no dia seguinte, tinha um presente para mim. Adivinhe? Um par de Havaianas.

Não foi a única vez que isso aconteceu no meu giro por aí. Várias pessoas que eu encontrava – com as quais me conectava de alguma forma e acabava criando uma relação mais forte – percebiam que as Havaianas faziam parte da minha empreitada e acabavam me presenteando com uma. Cheguei ao luxo de fazer um trecho da viagem com um par reserva na bagagem! Em uma expedição longa como essa, ter conforto nos pés é essencial.E a relação entre peso, espaço na bagagem e eficiência sempre fala alto na hora de fazer escolhas. Com as Havaianas, eu nunca tive dúvida de que elas passavam nesse “teste” e que rodariam comigo por todos os cantos.

Durante o pedal, eu usava as sandálias junto de um firma-pé com velcro – a melhor alternativa que encontrei.Um esquema prático e eficaz que me ajudou a rodar milhares de quilômetros. Fora da bike,elas se tornaram as parceiras ideais. Agora que terminei a viagem e me instalei no Norte do Brasil (tenho um pouco mais de tempo para contar essas histórias), eu me dou conta de que não tiro mesmo as Havaianas dos pés.”

É A SUA VEZ!

Você também tem um caso incrível com as Havaianas para compartilhar?

DESCANSO (MAIS QUE) MERECIDO

FELIPE BAENNINGER revela seus equipamentos certeiros para a hora do descanso

1/ Cafeteira Bialetti ,
R$ 190,60
Um clássico para amantes de café, ela é fácil de carregar na bagagem. Disponível em diferentes tamanhos em lojas de departamento e comércio online.
bialetti.com

2/ Fones de ouvido Samsung ,
R$ 1.500
Práticos e resistentes, aguentam suor e respingos de chuva (também não pesam nada na bagagem). Na hora do relax, estão sempre ao alcance.
samsung.com.br

3/ Rede Kampa Joy,
R$ 105
De produção 100% nacional, é extremante leve, ventilada e versátil
– características que a tornam um item certeiro na vida de viajantes.
kampa.com.br

4/ Quechua Quick Hiker 2,
R$ 800
Para uma noite “mil estrelas” na estrada, eis uma barraca compacta
e com bom espaço nas laterais de bom custo-benefício.
decathlon.com.br

5/Havaianas Power,
R$ 59,90
A borracha extra macia da Power traz uma sensação
superior de conforto aliada às tiras vazadas que permitem uma melhor respiração para os pés.
havaianas.com.br

6/ Trilhas & Rumos Poncho Neblina,
R$ 185
Nas partes mais frias da viagem, um equipamento eficaz faz toda a diferença. É o caso desta versátil capa,
que serve para proteger o corpo e parte das tralhas.
trilhaserumos.com.br