Velejadores brasileiros brilham na Itália

Foto: Carlo Borlenghi

A vela brasileira comemora mais um resultado importante internacional. Neste fim de semana, o TP52 Blue Carbon ficou com o vice-campeonato da ORC Mediterranean Championship, tradicional competição da modalidade, em Piano di Sorrento, na Itália.

Leia mais:

+ Como criar bons hábitos? Considere estas dicas apoiadas pela ciência

+ Onde mergulhar no litoral paulista? Veja opções

+ 4 destinos para pedalar e surfar no mesmo dia

Mauro Dottori, diretor de Vela do YCI e campeão da Semana Internacional de Vela de Ilhabela na classe C30, juntou-se aos comandantes Fábio Cotrim, Luciano Secchin e Luís Staub para alugar o barco espanhol para correr na ORC. A tripulação contou ainda com vários nomes fortes da Vela brasileira: Bento Albuquerque, Toni Guiu, Filipe Fuertes, Jorginho Zarif, Juninho Jesus, Nacho Giammona, Luquinha Fábio Rodrigues, Fábio Pilar, Alexandre Marin, Alfredo Rovere e Domi Knuppel.

O título da ORC Mediterranean Championship ficou com o também TP52 Beau Gest (Hong King), de Kwok Karl, e a terceira colocação com o argentino From Now On, um Swan 45.

”Fomos muito regulares e levamos um barco velho – mas bom – à segunda colocação. Como dizia Ayrton Senna quando corria na F1 pela Lotus Cammel em 1987, quem não tem cavalos vai com os burros mesmos. Fizemos bonito e fomos reconhecidos. Belo campeonato”, contou Mauro Dottori.

A competição de ORC contou com uma regata longa, a Tre Golfi, com 150mn, que largou de Nápoles em direção às ilhas de Ischia e Ponza, voltando para Capri, contornando as ilhotas Li Galli e terminando em Sorrento. O veleiro cruzou em nono lugar, na frente inclusive de 16 máxi – acima de 60 pés. No tempo corrigido terminou em segundo na classe ORC A e terceiro na geral da ORC

O campeonato da ORC Mediterrâneo começou uma semana depois, na última sexta-feira. Foram três dias de muita chuva e vento extremamente variado. No primeiro dia, o Blue Carbon ficou em primeiro quando decidiram anular a única regata pela variação e falta de vento. Na regata do segundo dia, o vento ficou na faixa de 22 a 27 nós, considerado uma verdadeira ‘pauleira’.

”Treinamos muito durante a semana com ventos fortes e isso fez a diferença! Ganhamos essa regata. Esse regime de ventos fortes, não tanto quanto na primeira regata e fracos, mudando muito de velocidade e direção no mesmo dia, prevaleceu durante todo o campeonato”, completou Mauro Dottori.

Os velejadores agora voltam às atenções para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela, que chega à sua 50ª edição de 22 a 29 de julho. O comandante Mauro Dottori vai liderar o Phoenix ao lado de Fábio Cotrim. Já o capixaba  Luciano Secchin tentará voltar ao título da SIVI com o +Bravíssimo e Luís Staub buscará o pódio na HPE25.

 







Acompanhe o Rocky Mountain Games Pedra Grande 2024 ao vivo