Velejadora pernambucana é aprovada em equipe olímpica da França

Velejadora pernambucana é aprovada em equipe olímpica da França
Foto: Divulgação

A velejadora pernambucana Júlia Ollivier, que também tem nacionalidade francesa, foi classificada para integrar a equipe olímpica de vela da França para o ciclo 2024/2028. Isso significa que a Confederação Francesa de Vela vai, já a partir de agora, trabalhar no seu desenvolvimento visando os Jogos Olímpicos de 2028, que serão realizados em Los Angeles, Estados Unidos. O resultado saiu nesta terça-feira feira (21/06) e foi muito comemorado.

+ Consciência corporal: como ter uma conexão mais profunda com seu corpo

+ Como treinar para uma prova de gravel em 10 dias

+ Enquanto os prós estão no Brasil, Kelly Slater surfa Uluwatu

Ela e sua família estão em Marselha, uma das cidades mais conhecidas e importantes da França. A velejadora, que completou 19 anos na segunda (20/06), passou na semana passada pelos últimos testes e foi aprovada, passando a contar com uma superestrutura para se desenvolver profissionalmente. Outra coisa bacana é que Júlia vai no barco de 49erFX, o mesmo de Kahena Kunze e Martine Grael, dupla duas vezes medalhista olímpica, ouro no Rio-2016 e em Tóquio-2020.

“Júlia se candidatou ao Centro de Formação da Federação Francesa de Vela e tinha feito várias entrevistas. Eles gostaram do histórico dela e a chamaram para fazer testes físicos e na água. Foi isso que aconteceu na semana passada. Gostaram muito e tivemos a notícia que ela foi selecionada para integrar esse Centro de Formação. Terá tudo, desde barco e técnico. Até já arrumaram apartamento para ela. Vão prepará-la para os Jogos Olímpicos de 2028. Ela vai entrar na equipe júnior e treinar juntos com os atletas olímpicos da França (2024)”, explicou Yannick Ollivier, pai de Júlia e presidente da Federação Pernambucana de Vela.

A velejadora pernambucana fica na França até o final de semana, voltando no sábado para o Rio de Janeiro para estudar e concluir o semestre. Em agosto vem ao Recife, mas em setembro retornará em definitivo para a França para treinar e estudar em uma universidade francesa, também por meio da Confederação de vela francesa.

-Publicidade-