Trilha histórica vai reabrir depois de 60 anos no Butão

Por Redação

butão
Caminho de 430 km passa pelo famoso mosteiro de Taktsang. Foto: Shutterstock.

Em março deste ano, o Butão vai reabrir a histórica “Trans Bhutan Trail”, uma trilha de 430 km que conecta a acolhedora nação do Himalaia de leste a oeste.

+ Trekking com crianças: dicas para uma aventura em família
+ Como o snowboard se relaciona com o surf e skate?
+ Trilheira raiz: ela foi pro Himalaia com equipamentos roots

A Trans Bhutan Trail passará por 400 locais culturais e históricos do Butão, incluindo o famoso mosteiro de Taktsang, construído em 1692 na boca da caverna Taktsang Senge.

Uma vez bem mantida pelos trail runners, a trilha caiu em desuso quando o Butão introduziu seu sistema rodoviário nacional na década de 1960. O local acabou fechado pelas autoridades locais pouco tempo depois.

Agora, depois de 60 anos, o Conselho de Turismo do Butão está pronto para reabrir a antiga trilha para moradores e turistas internacionais.

Um trekking tranquilo pelo caminho demora de 28 a 30 dias e leva os caminhantes da província de Tashigang, no leste do país, para Haa, no oeste. Itinerários mais curtos e passeios de mountain bike também serão permitidos.

O esforço para revitalizar a Trans Bhutan Trail começou em 2018 como um projeto conjunto entre o Conselho de Turismo e o BCF (Bhutan Canada Foundation). Nesse período, equipes de voluntários restauraram todos os 430 km.

Trabalhando toda a extensão do percurso a pé e à mão, eles criaram novos caminhos, remediaram travessias, consertaram e atualizaram a sinalização e registraram novos pontos de interesse ao longo do caminho.

A Trilha Trans Butão remonta ao século XVI, quando servia como via transregional do reino budista. Durante vários séculos, uniu os mosteiros e fortalezas da região, permitiu o comércio e forneceu aos monges um meio de peregrinação aos locais sagrados.

Os viajantes que seguirem toda a rota cruzarão 18 pontes principais e subirão 10 mil degraus.

-Publicidade-