Reino Unido não terá mais regras anticovid para turistas a partir do dia 18

Por redação

Reino Unido regras
Todas as exigências em vigor, como testes, passaporte da vacina e formulários serão extintas essa semana - Foto: shutterstock

Daqui exatamente 4 dias, o Reino Unido não terá mais regras impostas à viajantes pela pandemia.

+ Anvisa: uso de máscaras continua obrigatório em aeroportos e aeronaves

+ Com subvariante BA.2, casos de coronavírus voltam a subir em países da Europa

+ Viajantes internacionais já podem entrar em Bali sem quarentena

As medidas, como teste, passaporte de vacina e formulários ficam extintas a partir da sexta-feira, dia 18 de março, às 4 horas da manhã. Como de praxe há dois anos, viajantes poderão voltar a entrar no país apenas com passaporte e, em alguns casos, visto.

A medida foi anunciada pelo Secretário de Estado para o Transporte, Grant Shapps, nesta segunda-feira, (14).

Segundo Shapps, a mudança só foi possível “graças à campanha de vacinação e significará maior liberdade a tempo para a Páscoa”, feriado em que muitas famílias costumam viajar no país.

“O Reino Unido está liderando o mundo na remoção de todas as restrições de viagens remanescentes da covid-19”, comemorou ainda ao jornal Financial Times.

No entanto, o Departamento de Transporte do Reino Unido ainda ponderou à publicação que deverá manter em seus planos diversas medidas para eventualidades, como o surgimento de novas variantes, mas sem incluir quarentena em hotéis. Em caso de piora na pandemia, a ideia é ter normas menos restritivas possíveis.

A partir de quarta-feira (16), não será mais obrigatório o uso de máscara nas dependências do Aeroporto Internacional de Heathrow, localizado na região metropolitana de Londres. Aconselha-se, no entanto, a manutenção da proteção para circunstâncias de contato próximo com outras pessoas.

 Além disso, o aeroporto frisa a necessidade dos passageiros se informarem quanto as regras das companhias nas quais irão voar, porque a decisão de cobrar proteção dentro das aeronaves pode variar de acordo com a empresa.

As companhias British Airways e Virgin Atlantic informaram à Boomberg que cobrarão máscaras apenas de passageiros de voos com origens ou destinos em países que ainda imponham o seu uso.

-Publicidade-