Reinaldo Colucci vence Ironman Brasil 18 anos após sua estreia na prova

Por Redação

Reinaldo Colucci vence Ironman Brasil 18 anos após sua estreia na prova - Go Outside
Foto: Reprodução/Instagram/@rcruzworld e @reicolucci

O triatleta Reinaldo Colucci foi o campeão do Ironman Brasil neste domingo (29) em Jurerê Internacional, em Florianópolis (SC) com um impressionante tempo de 7h48m27s, a melhor marca de um brasileiro em provas de Ironman na história. O paulista de 36 anos fez sua estreia como profissional no Ironman em 2004, também em Floripa, e conseguiu o lugar mais alto do pódio pela primeira vez este ano.

+ Como se preparar para sua primeira prova de triathlon
+ Ironman proíbe participação de atletas russos no campeonato mundial

“Conquistei muita coisa na minha carreira, mas faltava este título e fiz uma preparação forte para vencer”, conta o atleta, segundo informações da IstoÉ. “Tinha certeza que poderia entregar um bom resultado e isso se confirmou”.

Com duas Olimpíadas no currículo (Pequim 2008 e e Londres 2012), o triatleta de Descalvado, interior de São Paulo, levou o ouro pelo Brasil nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México. Colucci também foi campeão do Ironman 70.3, o “meio-Ironman”, oito vezes.

Dedicação e persistência

Com apenas 15 anos, Colucci deixou a cidade de Descalvado e se mudou para São Carlos, onde começou a treinar o triatlo. Em pouco tempo, já atraiu patrocinadores e conquistou títulos, sendo referência da modalidade no Brasil.

Aos 17, o triatleta foi campeão em três campeonatos internacionais na França. Em 2004, ele conquistou o Campeonato Sul-Americano, disputado em Brasília, mesmo ano em que estreou no Ironman em Florianópolis. Três anos depois, o paulista foi vice-campeão do Ironman Brasil.

O brasileiro ficou de fora da Rio 2016 devido a uma lesão que exigiu uma séria cirurgia. Em 2018 ele voltou ao circuito mundial da ITU (Internacional Triathlon Union), que classifica para a Olimpíada, mas não conseguiu chegar nos Jogos de Tóquio 2020.

Seguindo firme nas longas distâncias mesmo com os obstáculos, o atleta agora comemora o grande feito em Floripa. “Dezoito anos após a minha estreia nessa mesma prova aqui do Ironman Brasil em 2004, finalmente posso dizer que sou um ‘Ironman Champion'”, escreveu Reinaldo Colucci em suas redes sociais.

Ironman Brasil em Florianópolis

Colucci completou os 3,8km de natação, 180km de ciclismo, e 42,1km de corrida com o tempo de 7h48m27s, a terceira melhor marca na etapa brasileira do Circuito Ironman, seguido pelo catarinense Igor Amorelli, com 7h53m10s, e pelo também paulista Fernando Toldi, com 7h59m39s, garantindo um pódio totalmente brasileiro. Colucci e Amorelli ficaram com a duas vagas para o Ironman World Championship 2022, no Havaí (EUA).

A briga pelo primeiro lugar no masculino já começou forte na primeira modalidade. Colucci e Igor saíram juntos da água, seguidos de perto pelo francês Arnaud Guilloux, que conseguiu encostar nos dois no pedal. Na corrida, Colucci começou mais forte e foi, aos poucos, abrindo vantagem para os adversários até conquistar sua primeira vitória no Ironman Brasil. Destaque também para Fernando Toldi, que no final conseguiu superar o francês e assegurar um lugar no pódio.

E teve dobradinha do Brasil no pódio. No feminino, a capixaba Pâmela Oliveira que antes da prova dizia que queria melhorar seu tempo de 2019, quando foi vice-campeã, cumpriu a palavra com sobras, baixando o tempo, conseguindo o melhor resultado de uma atleta nacional na prova, entrando para a galeria de campeões da prova e levando a vaga para Kona. Seu tempo foi de 8h54m01s.

Em segundo lugar ficou a suíça Joanna Ryter, com 9h06m05s, e, em terceiro, a santista Bia Neres, com 9h14m05s. Pâmela e Bia representarão o país em Kona, uma vez que a segunda colocada já tem a vaga.

Agora, o Brasil acumula seis títulos no Ironman Brasil. No feminino, a fluminense Fernanda Keller venceu em 2004 e 2008, gaúcha Ariane Monticeli em 2015 e a capixaba Pâmela Oliveira em 2022. Já no masculino, antes da conquista de Reinaldo Colucci este ano, somente o catarinense Igor Amorelli, em 2014, tinha sido campeão.

-Publicidade-