Posso usar óleo de coco como lubrificante no sexo?

Posso usar óleo de coco como lubrificante no sexo?
Foto: Pexels

A internet está repleta de matérias e discussões sobre os supostos benefícios do óleo de coco em diversos âmbitos: culinária, skincare, até mesmo nos cabelos. Nesse debate, entretanto, um ponto específico pode ser polêmico: seu uso como lubrificante no sexo.

+ Viver mais e sem limitações: 5 dicas para aumentar a longevidade na prática

+ As 11 habilidades mentais que formam um atleta de elite

+ A maior onda do hemisfério sul será construída em Perth

Afinal, ao contrário dos lubrificantes industrializados, o óleo de coco é natural, pode ser mais barato e você tem aí, na sua cozinha. Mas será que isso significa que ele é seguro para suas genitais? Entenda com informações da “POPSUGAR”.

Posso usar óleo de coco como lubrificante no sexo?

Apesar de o uso do óleo de coco no sexo não ter sido estudado com afinco, especialistas explicam que ele pode ser utilizado com esse propósito — porém, existem ressalvas.

Dentre os benefícios da prática está o potencial hidratante do ingrediente, que, além de facilitar a penetração, pode continuar agindo mesmo após a relação sexual. Além disso, ele é comestível, o que pode proporcionar uma transição sensual para o sexo oral.

“Eu tive muitas pacientes usando óleo de coco para lubrificante sem nenhum problema, então pode não ser problemático para todos, mas vale a pena notar que riscos existem”, pontua a endocrinologista e sexóloga clínica Jolene Brighten.

Riscos de usar lubrificante no sexo

A vagina possui seu próprio microbioma, repleto de bactérias benéficas. Nesse sentido, Jolene explica que as propriedades antibacterianas e antifúngicas do óleo de coco podem perturbar sua flora vaginal e deixá-la suscetível à candidíase ou vaginose bacteriana.

A ginecologista e obstetra Kim Langdon também alerta para outro motivo pelo qual o óleo de coco pode aumentar seu risco de infecção: aplicar o ingrediente nas genitais pode fazer com que um biofilme se forme na região. Trata-se de uma união de micro-organismos e materiais como muco, fungos e células imunes que formam uma pequena película, “segurando” tudo o que está ali.

Um ambiente como esse é próprio para a proliferação de bactérias ruins, já que o biofilme dificulta a erradicação destas por seu sistema imunológico e até mesmo por antibióticos.

Assim, é importante observar que você deve consultar seu médico sempre que estiver incerta sobre o que usar na região genital.

Ao que você deve se atentar

Lubrificantes à base de óleo não são recomendados para uso associado a preservativos de látex, pois o ingrediente pode fazer com que o material se rompa — aumentando o risco de infecções e/ou gravidez. Portanto, se você estiver utilizando camisinhas de látex, opte por lubrificantes à base de água.

Além disso, Jolene destaca que o óleo de coco é “compatível com a maioria dos sex toys, mas é melhor sempre checar as recomendações do fabricante”. A especialista ainda destaca que você sempre deve lavar seus brinquedos eróticos antes e depois de utilizá-los, mesmo não tendo utilizado lubrificante.

Você deve, ainda, atentar-se à composição do óleo de coco que utilizará como lubrificante, pois o produto não deve ter adição de nenhum ingrediente. “O óleo de coco virgem ou extra virgem prensado a frio é melhor por razões de pureza”, diz Jolene. Tenha em mente, também, que o ingrediente pode manchar alguns tipos de tecido.

-Publicidade-