Nova vacina previne herpes-zoster, doença causada pelo mesmo vírus que acometeu Justin Bieber

Nova vacina previne herpes-zoster, doença causada pelo mesmo vírus que acometeu Justin Bieber
Foto: Reprodução / Instagram

Quando a imagem do cantor canadense Justin Bieber com o rosto paralisado se espalhou pelas redes sociais, poucos associaram o quadro a uma doença muito comum da infância, a catapora. Mas a síndrome de Ramsay Hunt, diagnosticada no artista, é causada pelo mesmo vírus, o Varicela-zoster, que fica escondido em gânglios nervosos e pode reaparecer anos depois em quem teve catapora na infância.

+ Receita de caldo verde detox e low carb

+ 15 roteiros para desbravar o mundo em cima de uma bike

+ WSL Finals: quem está dentro e quem está fora

Normalmente na idade adulta ele causa o herpes-zoster, uma infecção na pele popularmente chamada de cobreiro. A paralisia facial diagnosticada no ator é bem mais rara. A boa notícia é que acaba de chegar ao Brasil uma nova vacina capaz de prevenir a reativação do vírus Varicela-zoster e evitar o surgimento dessas doenças tardias.

“Estamos vendo um grande aumento de casos de herpes-zoster no consultório”, observa o dermatologista Beni Grinblat, do Hospital Israelita Albert Einstein. De fato, uma pesquisa conduzida pela Universidade Estadual de Montes Claros, em Minas Gerais, constatou um crescimento de 54% nos casos de herpes-zóster (não de Ramsay Hunt, que é muito mais rara) durante a pandemia de Covid-19, comparado com o mesmo período antes da pandemia.

Os motivos ainda não estão totalmente claros, embora a suspeita seja de que os gatilhos são a ansiedade, o estresse emocional, transtornos depressivos e baixa imunidade durante a pandemia. Essa doença não deve ser confundida com a herpes genital, causada por outro tipo de vírus, o herpes simplex.

Num primeiro contato, o vírus Varicela-zoster leva à catapora ou varicela, caracterizada pelas famosas bolhinhas na pele que depois formam uma crosta. As lesões podem surgir no corpo todo e coçam bastante. Na maioria dos casos, a doença se resolve sozinha sem maiores complicações.

No entanto, o vírus pode ficar latente durante anos nos gânglios nervosos. Em algum momento de baixa imunidade – seja por uma doença ou até mesmo pela idade – ele se reativa, provocando o herpes-zoster, doença conhecida popularmente como “cobreiro”, com vesículas e bolhas e muita dor ao longo do trajeto do nervo onde o vírus estava adormecido. Pode acometer dorso, abdômen, face. Em casos muito mais raros, causa a paralisia pela inflamação em um nervo da face, que pode impedir movimentos como fechar os olhos ou sorrir.

“Quanto antes for diagnosticado, melhor o tratamento e a chance de evitar sequelas”, diz Grinblat. Costuma-se receitar remédios antivirais, anti-inflamatórios e analgésicos, entre outros. No caso da paralisia, pode ser necessário fisioterapia.

Nova vacina

A melhor forma de prevenir o herpes-zoster é a vacina. O imunizante que chegou ao Brasil no mês passado tem uma vantagem em relação ao que já existia por ser feito com vírus inativados. Isso significa que pode ser usado por indivíduos imunodeprimidos. Além disso, tem alto grau de proteção, cerca de 90%.  Ele é recomendado para quem tem mais de 50 anos, ou adultos com mais de 18 anos com algum comprometimento imunológico. Mas, por enquanto, só está disponível nos serviços privados.

-Publicidade-