Italiana de 72 anos vai andar 20.000 km de Veneza à Pequim

Por Redação

Italiana de 72 anos vai andar 20.000 km de Veneza à Pequim - Go Outside
Foto: Reprodução

Uma italiana de 72 anos acaba de iniciar uma aventura seguindo os passos do explorador europeu Marco Polo: Vienna Cammarota vai andar de Veneza, na Itália, até Pequim, na China, ao longo da Rota da Seda de 22.000 km.

+ Fernanda Maciel completa travessia inóspita na Patagônia em tempo recorde
+ Britânica bate recorde ao atravessar a Nova Zelândia correndo em 20 dias

A aventureira deixou Veneza, local de nascimento de Marco Polo, nesta terça-feira (26) e deve passar por 15 países, segundo informações do Guardian. A meta é caminhar por mais de dois anos e chegar em Pequim em dezembro de 2025.

Cammarota é fã de longas aventuras a pé há 30 anos e já “bateu perna” pelo Tibete, Palestina, Israel, Patagônia e Madagascar, além do seu país natal. No desafio atual, seguindo os passos de Marco Polo, a italiana vai andar pela Eslovênia, Croácia, Sérvia, Bulgária, Turquia, Geórgia, Irã, Turcomenistão, Azerbaijão, Uzbequistão, Quirguistão, Cazaquistão, Mongólia e China.

A mulher é embaixadora do Archeoclub Italia, uma associação para a preservação do patrimônio cultural do país, e foi inspirada a explorar por Johann Wolfgang von Goethe, o autor alemão que publicou diários de suas viagens pela Itália entre 1786 e 1788 em seu livro Italian Journey, e claro, por Marco Polo. Polo partiu de Veneza em 1271 aos 17 anos e passou mais de duas décadas viajando pela Ásia em uma rota que mais tarde ficou conhecida como Rota da Seda. Provavelmente o europeu mais famoso a percorrer a rota, ele escreveu um livro sobre suas aventuras que se tornou um dos primeiros best-sellers do mundo.

“Depois de Von Goethe, fiquei fascinado por Marco Polo”, disse Cammarota ao Guardain. “Adoro história, cultura e arqueologia, e caminho para ver e contar, mas sobretudo para ouvir.”

Cammarota levará bandeiras italianas e ucranianas para a viagem, que descreve como “uma caminhada pela paz”, enquanto se esforça para “unir as populações”.

A italiana quer vai andar de Veneza até Pequim está levando em sua mochila uma câmera GoPro e um celular com um aplicativo que seu médico consegue verificar sua saúde remotamente.

-Publicidade-