Especialistas dão dicas para parar de comer por estresse

Especialistas dão dicas para parar de comer por estresse
Foto: Freepik

Imagine a seguinte situação: com fome e pressa, você opta por um lanche rápido, mas, quando se dá conta, já comeu um pacote de salgadinhos e uma barra de chocolate inteira sozinha. Se isso já te aconteceu, não se preocupe: quase todo mundo já passou por uma situação que resultou em comer por estresse — até mesmo os nutricionistas.

+ Regras de ‘etiqueta’ para usar equipamento de camping emprestado

+ Incentivador do esporte brasileiro, João Paulo Diniz deixa grande legado ao universo outdoor

+ Descanse em paz, Jarmeson Benício de Sales

À “Women’s Health”, de onde são as informações, a nutricionista Allison Chase explica: “Comer por estresse é quando você come em resposta às suas emoções, em vez de realmente encher seu corpo nutricionalmente”. Isso significa comer além do que te satisfaz, muitas vezes com alimentos pouco saudáveis.

Allison explica que existem outras formas de lidar com sentimentos negativos além da comida, mas isso requer esforço. A seguir, confira dicas para evitar que o hábito se torne um conforto permanente para os problemas do dia a dia.

Dicas para parar de comer por estresse

Preste atenção ao que está fazendo

A primeira recomendação da nutricionista é que você se atente às situações que poderiam engatilhar uma comilança desnecessária. “Foque em reconhecer quando e como você está fazendo isso e de quais tipos de comida você está indo atrás”, aconselha.

Ela explica que você deve entender seu sentimento — saber o que te estressou ou chateou — ainda mais do que deve rastrear a comida que come.

Entenda seus padrões de desejo

Você também pode anotar ou procurar se lembrar de tudo o que deseja comer nas horas em que se estressa ou está sob pressão. A nutricionista Rebecca Scritchfield relata que, quando começa a sentir vontade de “beliscar”, ela checa o horário: se é um período do dia em que sabe que isso geralmente acontece, ela opta por algo que vá satisfazê-la.

Organize sua rotina para não comer por estresse

Se seu dia a dia é atribulado e você não tem tempo para pensar em suas refeições, faça-o com antecedência — e isso também vale para seus lanches. A psicóloga Rachel Goldman revela que planejar seu café da manhã, almoço, lanche e jantar a faz evitar comer sem pensar.

“Se o estresse acontece (o que acontece, porque a vida acontece) e estamos fisiologicamente famintos (em vez de apenas emocionalmente famintos), então é mais difícil fazer escolhas saudáveis”, elucida.

Saiba se você realmente está com fome

A nutricionista Monica Auslender Moreno recomenda que você faça o que ela chama de “escaneamento cérebro a estômago” para entender se realmente sente fome. Para isso, comece pelo cérebro: entenda que tipo de pensamentos está tendo e não se martirize por isso.

Além disso, você deve considerar a influência emocional em sua “fome”, e manter um diário de suas emoções pode ajudar. Por último, recapitule: quando foi a última vez que você tomou água e comeu? Essa é a forma com que a especialista entende se está com fome e evita uma maratona de lanches pouco saudáveis.

Livre-se do estresse primeiro

“Se estou estressada, posso fazer uma lista de coisas a fazer para organizar meus pensamentos e minha próxima agenda, ou posso meditar ou dar uma curta caminhada”, revela a nutricionista Alyssa Lavy. “Só então verifico minha fome e meu desejo de comer novamente. Se eu ainda quero a comida, eu me permito”, finaliza.

Nesse sentido, ela também acende um alerta para o tamanho de suas porções de comida, a fim de evitar exageros.

Mantenha a boca ocupada

Se a estratégia anterior não funcionar, Rachel sugere que você recorra às gomas de mascar ou um chá quente para tirar a comida de seus pensamentos e acalmar a mente.

Hidrate-se e descanse

É comum que a desidratação seja confundida com fome. Por isso, você deve beber uma boa quantidade de água durante o dia. Assim, você evitará que seu corpo recorra às suas reservas de açúcar para obter energia e não sentirá vontade de comer doces.

Além disso, o cansaço pode fazer com que você sinta vontade de comer, mesmo sem fome. Por isso, hidratação e descanso são essenciais.

Aproveite seu lanche com um propósito ao invés de comer por estresse

Ao invés de recorrer à comida para conforto e comer mais do que você pode perceber, que tal comer com atenção? A sugestão de Rachel é que você tire pequenos intervalos, respire profundamente e divague sobre o que está sentindo antes de comer.

“Se alguém come sorvete sem pensar, pode se sentir culpada por isso depois e esse sentimento de culpa afetará seus próximos pensamentos, emoções e comportamentos”, explica. Por isso, saiba que está tudo bem comer — desde que você o faça com consciência.

Procure ajuda profissional

“A maior preocupação é que a alimentação emocional possa ter um impacto mais significativo e resultar em um transtorno alimentar diagnosticável”, diz Allison. “Se o estresse alimentar chegou ao ponto de interferir em sua vida, ele passa para a definição de um distúrbio psicológico e você precisa procurar ajuda profissional”.

Por isso, se você sente que come por estresse mais do que deveria e isso interfere em seu bem-estar, não hesite em procurar ajuda de nutricionistas e, principalmente, de profissionais da saúde mental.

-Publicidade-