Dicas de sucesso para otimizar seu mochilão

Por redação

Foto: shutterstock

Você também sonha em fazer um mochilão de sucesso mas não sabe bem por onde começar? Pois bem. Esse tipo de viagem realmente é interessante, porque o mochileiro não só conhece o mundo, como também se torna parte dele.

+ 10 itens que não podem faltar na mochila quando você estiver no meio do mato

+ Glamping é tendência de viagem do momento, segundo google

+ 4 destinos para pedalar e surfar no mesmo dia

E um dos pontos mais desafiadores desse processo todo é realmente aprender como viajar com o mínimo possível, só com o necessário. Isso porque ser mochileiro também envolve abrir mão de muita coisa.

E para desvendar alguns truques para organizar e otimizar a experiência de um mochilão, pedimos boas dicas para Mafe Romero, do Cultura Navegável. A jovem de 26 anos é jornalista, fotógrafa, escritora do livro Navegando em Poesia e viaja pelo o mundo há 5 anos.

Ao longo desse tempo, ela já conheceu mais de 25 países entre América, Europa e África e vivenciou as diferentes culturas e mais diversas experiências. “Vou vivendo sem me limitar”, conta ela sobre sua maior filosofia de vida.

 Confira dicas de sucesso para o seu mochilão:

Como definir minha viagem?

Segundo Mafe, são três pontos principais que ajudam a decidir o trajeto. Um bom planejamento financeiro, ter um objetivo de viagem e fazer uma boa pesquisa dos destinos de interesse.

Planejamento financeiro

“Você consegue viajar com muito pouco, mas precisa controlar muito bem os gastos”, comenta Maria Fernanda.

Para um bom planejamento financeiro é preciso literalmente contar as moedas. Quanto você tem para a sua viagem? Ou quanto você ganha com seu trabalho remoto – se você também é adepto do home office? Se a viagem for internacional, faça uma comparação do custo de vida, levando em conta que você irá precisar converter o real naquela moeda.

Depois, faça uma pesquisa minuciosa dos preços de hospedagem, comida, transporte e despesas de passeios turísticos nos lugares de seu interesse. Principalmente se seus gastos não puderem superar a sua renda, você precisa se informar muito a respeito dos valores em sua viagem. Para isso, use a internet a seu favor, mas também busque contatos e converse com pessoas que conhecem bem os destinos escolhidos.

A partir do levantamento detalhado, escolha lugares que caibam no seu orçamento.

Defina um objetivo para sua viagem

Outro ponto que pode ajudar a otimizar e selecionar o trajeto é definir um objetivo para a viagem. Por exemplo, você pode ter o interesse em viajar para andar de bike, correr, fazer trilhas, surfar ou simplesmente conhecer pequenos vilarejos ou diferentes arquiteturas. “Para uma viagem de um mês pense em no máximo 4 ou 5 países, mas claro que essa conta também depende do tamanho desses países”, aconselha ela.

Escolha de destinos

A primeira recomendação da mochileira para esse tópico é fazer um afunilamento nos lugares de interesse. Isso porque, muitas vezes, o viajante quer abraçar o mundo, mas é importante tirar tempo suficiente para aproveitar e conhecer bem os destinos do trajeto.

“Não recomendo fazer pouco tempo e muitos países ou estados, porque fica corrido, cansativo e você acaba perdendo tempo dentro dos transportes que poderiam ser usados para aproveitar mais uma cidade e conhecer mais profundamente um lugar”, aconselha. “Sem contar que acaba ficando mais caro e mais difícil de fazer uma mochila compacta em relação as variações de temperatura”, finaliza.

Arrumando o seu mochilão

Depois de fazer o planejamento financeiro, definir um objetivo, levantar os custos e escolher os destinos está na hora de pensar no que levar. Nessa questão, dois pontos são importantes:

Invista em uma boa mochila!

Você e sua mochila são como unha e carne então não tem como não pensar muito bem em qual mochilão comprar. Por isso, é importante colocar no orçamento aquela mochila que supra suas necessidades de forma confortável e eficiente. “É necessário investir em um bom material de viagem e se possível comprar uma mochila do seu tamanho, para o seu peso e que seja ergonômica”, aconselha Mafe.

Seja minimalista e precavido

Sabe aquela história de menos é mais? Definitivamente a sua vida vai facilitar muito se você otimizar a sua mochila. Mas antes, você precisa saber quais são as variações de temperatura dos lugares do roteiro. A partir daí, leve peças que você vai realmente usar.

Mesmo se o lugar nevar, você não vai precisar de 10 casacões de neve. “Tenha em mente que você vai precisar lavar roupa toda semana, então leve pouca coisa”, alerta Maria Fernanda. Compre shampoo e condicionador sólido que ocupa menos espaço na mochila e deixe pra trás tudo aquilo que é luxo da cidade.

Priorize um calçado confortável e quando for fazer as travessias com o mochilão nas costas use um bom tênis. “Cuidado com as botas novas que você acabou de comprar, porque no mochilão você vai andar muito e um calçado novo as vezes precisa de uso para lacear no pé”, aconselha.

No entanto, ser minimalista não significa que você não precise pensar em imprevistos. Por isso, uma das dicas de ouro da mochileira experiente é sempre levar um pequeno kit de farmácia. “Tem remédio que só tem no Brasil ou que o nome muda em outra língua e as vezes é legal ter aquele medicamento que você já conhece”, explica ela.

No destino

Já tem o planejamento financeiro, objetivo definido de viagem, escolha de destinos traçados, se informou a respeito do clima, comprou a mochila, o tênis confortável para caminhadas? Então você já pode partir! Confira essas dicas para quando você estiver no lugar dos sonhos:

Deixe para comprar o chip no próprio destino

Pesquise antes qual é chip local mais barato. “Chip internacional sempre acaba saindo mais caro”, aconselha Mafe. E compre no próprio destino.

Baixe o mapa da cidade no seu celular

Quem tem boca vai a Roma, mas ter um mapa para usar offline com certeza vai salvar a sua vida. Ainda sim, sempre anote o endereço que você precisa ir em um papel. “A bateria do celular sempre acaba nos momentos mais importantes”, comenta Mafe.

Anote palavras chave na língua local

Se você não souber falar a língua daquele país, anote palavras e frases chaves para saber pedir comida ou se informar de como chegar em algum local.

Agora pé na estrada e boa viagem!

Para acompanhar as viagens da Mafe, clique aqui.

 

-Publicidade-