Coreia do Sul terá primeira cidade flutuante do mundo

Por redação

Imagem: OCEANIX/BIG-Bjarke Ingels Group

Com as previsões de aumento do nível do mar, cada vez mais, arquitetos e urbanistas ao redor do mundo discutem sobre um novo assunto: As cidades flutuantes. E agora, parece que o conceito pode se tornar realidade em breve com a Oceanix Busan.

+ Turismo Sustentável: 7 maneiras de fazer com que sua viagem melhore o mundo

+ Os países mais felizes do mundo são os que buscam sustentabilidade

+ Mulheres se tornam surfistas e iniciam revolução de liberdade no Sri Lanka

Trata-se do primeiro protótipo de comunidade sustentável e flutuante do mundo. Em parceria com a empresa de tecnologia e design Oceanix (fundada pelo arquiteto dinamerquês Bjarke Ingels), UN-Habitat e a cidade de Busan, na Coréia do Sul, as obras da nova cidade estão programadas para começarem em 2023.

O projeto conta com um aglomerado de ‘bairros’ flutuantes, todos interligados entre si e com o continente, por meio de pontes. A empresa afirma que o Oceanix Busan será a primeira construção desse tipo no mundo e atuará como modelo para cidades costeiras que vão precisar se adaptar devido ao aumento do nível do mar.

Em área de 6,3 hectares, a cidade flutuante Oceanix Busan abrigará, inicialmente, uma comunidade de 12 mil pessoas, mas segundo a empresa, pode ter capacidade para uma população de 100 mil.

Primeiramente, a cidade contará com três bairros, cada um com seus próprios espaços de uso misto para viver e trabalhar, além de áreas públicas dedicadas para compras, alimentação e cultura. As construções consistirão em prédios baixos, que são mais fáceis de equilibrar uniformemente. Veja imagens:

Imagem: OCEANIX/BIG-Bjarke Ingels Group
Imagem: OCEANIX/BIG-Bjarke Ingels Group

A Oceanix Busan também fornecerá para dezenas de milhares de pessoas casas à prova de mudanças climáticas e será impressionantemente ecológica. Com praticamente todas as suas superfícies cobertas por painéis solares, a empresa afirma que toda a energia será gerada no próprio local. A cidade também terá sistema para tratar a água do mar e abastecer a comunidade, além de grandes áreas de estufas para cultivo.

A construção será, em grande parte, com madeira leve, de origem local e tudo renovável. Ainda que os designs pareçam um pouco surreal para o momento, será interessante ver como a cidade se desenrolará. A ONU calcula que mais 600 milhões de pessoas vivem a menos de dez metros acima do nível do mar. Se tudo correr bem, a Oceanix pode ser uma solução para esse problema.

Imagem: OCEANIX/BIG-Bjarke Ingels Group

Você pode saber mais sobre o projeto da cidade flutuante aqui .

 

-Publicidade-