Como refrescar seu cachorro nas atividades de verão

Por Redação

cachorro verão
Foto: Shutterstock.

Durante os meses quentes do verão, é muito mais fácil para uma pessoa se refrescar do que para um cachorro.

+ 6 destinos para viajar com o seu cachorro pelo mundo
+ Leve seu cachorro junto no próximo passeio de bike
+ 8 dicas para combater o calor durante a corrida

Seu melhor amigo não pode se dar ao luxo de soltar camadas de roupa quando as coisas esquentam, então ele precisa confiar na sua complexa fisiologia para regular a temperatura.

Mas, às vezes, seu cão só quer acompanhá-lo em uma corrida, e este impulso pode anular a sua capacidade de controlar os métodos naturais de resfriamento.

Assim, você é o responsável por monitorar o seu companheiro de aventura favorito em busca dos sinais de superaquecimento.

Veja como fazer isso e tomar algumas medidas preventivas.

Entenda como os cães controlam o calor

Assim como os humanos, os cães podem superaquecer o ano todo. Mas, particularmente nas estações mais quentes e mais úmidas, eles podem ter dois tipos de doenças relacionadas ao calor.

Uma delas nem necessita de esforço. É o que acontece quando um cachorro é deixado em um carro ou outro espaço compacto em um dia quente com ventilação mínima. Nestes casos, sua temperatura corporal aumenta tanto que ele não consegue se acalmar.

Já doenças relacionadas ao calor por esforço são induzidas por exercícios e podem ocorrer quando o cão se junta a você para atividades como caminhar, correr, nadar ou pedalar. Essas atividades podem fazer com que ele gere mais calor do que possa dissipar – o que pode levar a uma temperatura corporal perigosamente alta.

“As doenças relacionadas ao calor e, em particular, as causadas por esforço, são um problema de saúde grave e potencialmente fatal”, afirma Russ Kelley, nutricionista da marca Eukanuba. “Os proprietários que podem ler os sinais de seus cães são capazes de ajudá-los a mantê-los seguros enquanto aproveitam a diversão do verão”, garante.

A temperatura corporal normal de um cão oscila entre 37.5ºC a 39.5ºC, mas uma temperatura de 40ºC ou mais significa que seu cão corre um risco maior de contrair uma doença relacionada ao calor, que pode assumir qualquer uma das três formas abaixo:

Estresse por calor: os sinais podem incluir aumento de sede, respiração ofegante excessiva, língua dilatada ou achatada, saliva pastosa, apreensão ou falta de foco e bochechas puxadas para trás revelando os molares.

Esgotamento por calor: os sinais podem incluir fraqueza ou tropeço, olhos fundos e secos, vômitos ou diarréia, tremores musculares, respiração ofegante incontrolável e secura no nariz, boca e gengivas.

Insolação: os sinais podem incluir falta de resposta ou confusão, urina escura ou falta de urina, convulsões, coma, falta de coordenação e colapso.

Os cães mantêm sua temperatura saudável por meio de vários sistemas corporais, mas se forçarem muito na atividade, seus métodos naturais de resfriamento, como ofegar, não serão suficientes. Arfar inicialmente os ajuda a ficarem frios porque expele o ar interno quente, que é, portanto, trocado pelo ar externo mais frio. Mas no verão, o ar externo também é quente e eles não esfriam rápido o suficiente. É quando eles precisam de sua ajuda.

Ajude a proteger seu cão

Antes de iniciar uma longa corrida, caminhada ou passeio de bicicleta com seu cachorro, é recomendável verificar a temperatura e o índice de umidade relativa do ar. Evite atividades extenuantes quando o calor e umidade forem intensos. Nos dias mais quentes, comece devagar e faça pausas freqüentes na sombra para ajudar a refrescar a si mesmo e o seu amigo. Se você pode planejar sua atividade com antecedência, aumente a ingestão de água do seu cão três a cinco dias antes. Certifique-se de trazer bastante água se você sabe que não estará perto de um bebedouro ou outra fonte de água.

Se o seu cão passar por estresse causado pelo calor, faça uma pausa na sombra em uma área aberta com uma brisa ou termine o dia. Ajude a reduzir a temperatura interna do seu cão aplicando água fria nas almofadas das patas e na barriga ou esfregando álcool nas orelhas, axilas e virilha. Use água fria para enxaguar a saliva pastosa da boca.

Em caso de exaustão pelo calor ou insolação, leve seu cão ao veterinário mais próximo imediatamente. Antes de ir, coloque uma toalha úmida e fria por baixo dele e siga os mesmos passos para aplicar água e álcool isopropílico usados para o estresse por calor. Mas nunca a coloque em água extremamente fria ou coloque gelo em sua pele – isso pode aumentar o risco de desidratação e piorar as coisas.

Treine seu cão para lidar com climas mais quentes

Se o seu cão está acostumado a ficar dentro de casa a maior parte do tempo, é melhor começar a praticar atividades ao ar livre cada vez mais extenuantes. A aclimatação e o condicionamento adequados são cruciais. “Se os cães não estiverem correndo no inverno, eles podem perder o tônus ​​muscular e a resistência”, diz Josh Miller, treinador profissional e proprietário do Riverstone Kennels de Wisconsin. “Junto com isso, eles podem ganhar quilos extras. Pegar um cão sedentário e começar a trabalhar duro em temperaturas quentes  e alta umidade pode fazer com que ele superaqueça mais rapidamente do que um cão em condições saudáveis”

Qualquer número de fatores – peso, idade, espessura da pelagem, outras condições de saúde – pode colocar seu cão em maior risco de exaustão por calor. Fornecer boa circulação de ar, sombra e acesso a água doce pode ajudar a manter seu cão refrescado em temperaturas mais altas. Lembre-se de que os cães ainda podem superaquecer durante o treinamento na água, especialmente em locais mais rasos e quentes. “Sempre faça exercícios com seu cão nas partes frescas do dia, começando com passeios curtos e aumentando gradualmente o tempo”, diz Miller. E lembre-se, se você notar qualquer sinal de estresse causado pelas altas temperaturas, saia do calor e faça uma pausa imediatamente.

Matéria originalmente publicada na Outside USA

-Publicidade-