Como cuidar de sua vagina em cada fase da vida

Como cuidar de sua vagina em cada fase da vida
Foto: Freepik

Estar com a saúde íntima em dia é essencial e não se limita ao sexo. Por isso, é importante se atentar aos sinais de sua vagina e manter os cuidados necessários com a região em cada fase da vida.

+ Como a alimentação afeta a sua vagina

+ Irritação na vagina: cuidados com a região íntima no verão

+ Mundial de Surf Júnior ISA: Bons momentos no 3º dia

Com informações do “The Sun”, confira as principais dicas para cuidar da vagina em todas as fases de sua vida:

Aos 20 anos

Durante a juventude — especialmente quando você está vivendo o melhor de sua vida de solteira —, é extremamente importante usar preservativos e fazer exames regulares para checar infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Outros exames de rotina, como papanicolau, também devem ser feitos anualmente ou conforme recomendação de seu ginecologista.

Contudo, vale ressaltar que todos esses cuidados devem ser iniciados nessa fase, mas não se limitam, visto que devem ser prioridades durante toda a vida, independentemente da idade.

Aos 30 anos

É hora de trabalhar os músculos que sustentam a bexiga, o útero e o intestino e pelos quais passam a uretra, a vagina e o ânus — região conhecida como assoalho pélvico.

Os exercícios para fortalecimento do assoalho pélvico podem ajudar a prevenir a incontinência no futuro, especialmente se você passar pela gravidez e pelo parto. Para praticá-los, experimente apertar simultaneamente a região, como se fosse parar as fezes, pausar um xixi e segurar algo em sua vagina.

Segure por dez segundos, dez vezes, depois faça mais dez vezes o mais rápido possível e repita todo o processo três vezes ao dia.

Aos 40 anos

Esta pode ser a década ideal para visitar um fisioterapeuta de saúde feminina, especialmente se você estiver lutando contra a incontinência urinária. “Eu vejo muitas mulheres em forma e saudáveis ​​na casa dos 40 tendo vazamentos [de urina]”, relata a ginecologista Tania Adib. “Nós não falamos sobre isso o suficiente.”

Nesse sentido, se você estiver sofrendo com a condição, consulte seu médico. Ele deve encaminhá-la para um especialista que pode orientá-la por meio de exercícios personalizados.

Aos 50 anos

A menopausa pode trazer uma secura vaginal debilitante, causando ardor, coceira e sexo doloroso. Para isso, Tania recomenda o uso de hidratantes vaginais internos. No entanto, consulte um ginecologista antes de utilizá-los. Além disso, a dica da especialista é a utilização de lubrificante suave durante as relações sexuais.

Como a menopausa envolve também uma queda no estrogênio, o próximo passo é consultar com seu médico a possibilidade de realizar tratamentos que possam aumentar a lubrificação natural.

Aos 60 anos

“Cerca de 50% das mulheres na casa dos 60 anos terão incontinência e cerca de um terço delas experimentará prolapso (quando os órgãos pélvicos escorregam e incham na vagina)”, diz Tania, que complementa: “Essas são condições terríveis que podem arruinar sua autoestima.”

Você não precisa, entretanto, enfrentar essas condições. Seu ginecologista irá te indicar a melhor opção entre uma variedade de tratamentos, desde estimulação elétrica por meio de uma sonda (contraindo os músculos do assoalho pélvico) até vários tipos de cirurgia. Dessa forma, é possível ter uma vagina saudável em qualquer fase de sua vida.

-Publicidade-