Boeing da China Eastern Airlines cai em região montanhosa no sul da China; não há sinais de sobreviventes

queda avião china
Foto: Shutterstock

PEQUIM (Reuters) – Um Boeing 737-800 da companhia aérea chinesa China Eastern Airlines com 132 pessoas a bordo caiu em montanhas no sul da China durante um vôo doméstico nesta segunda-feira e a mídia noticiou que os trabalhadores de resgate não haviam encontrado nenhum sinal de sobreviventes.

+ Trem de 100 anos oferece roteiro para conhecer o deserto australiano

+ Surfista de ondas grandes processa WSL depois de quase morrer afogado em Nazaré

+ Mavericks de gala: 20 pés de onda e surf na remada

O avião estava voando da cidade de Kunming, capital da província de Yunnan, para Guangzhou, capital de Guangdong, que faz fronteira com Hong Kong.

Não houve nenhuma notícia imediata sobre a causa do acidente.

“Pode confirmar que o avião caiu”, disse a China Eastern Airlines em uma declaração na qual também deu detalhes de uma linha direta para parentes dos que estavam a bordo.

A mídia citou uma autoridade de resgate dizendo que o avião havia se desintegrado e causado um incêndio que destruiu árvores de bambu. O People’s Daily citou um funcionário do departamento de combate a incêndios da província que disse que não havia sinais de vida entre os destroços espalhados.

A aeronave, com 123 passageiros e nove tripulantes a bordo, perdeu contato sobre a cidade de Wuzhou, disseram a Administração de Aviação Civil da China (CAAC) e a companhia aérea.

O voo saiu de Kunming às 13h11 (1h11 em Brasília), segundo os dados do FlightRadar24, e deveria aterrissar em Guangzhou às 15h05 (4h05 em Brasília).

O avião, que o Flightradar24 disse ter seis anos de idade, estava em cruzeiro a uma altitude de 29.100 pés às 4h20 no horário de Brasília. Pouco mais de dois minutos e 15 segundos depois, os dados mostraram que tinha descido para 9.075 pés.

Em outros 20 segundos, sua última altitude rastreada foi de 3.225 pés, indicando uma descida vertical de 31.000 pés por minuto, disse o Flightradar24.

Os dados meteorológicos online mostraram condições parcialmente nubladas com boa visibilidade em Wuzhou no momento do acidente.

O presidente da China, Xi Jinping, pediu que os investigadores determinem a causa do acidente o mais rápido possível para garantir a segurança “absoluta” da aviação, informou a emissora estadual CCTV.

Um porta-voz da Boeing disse: “Estamos cientes dos relatos iniciais da mídia e trabalhando para coletar mais informações”. As ações da Boeing caíam na pré-abertura do mercado.

As ações da China Eastern Airlines em Hong Kong fecharam em baixa de 6,5% após a queda da aeronave.

(Reportagem das redações em Pequim e em Xangai e de Jamie Freed, em Sydney)

-Publicidade-