Árvore mais antiga do mundo pode ter sido encontrada no Chile, diz estudo

Por Redação

Cipreste patagônico, conhecido como "bisavô" pode ter mais de 5.000 anos.

Uma floresta no sul do Chile pode abrigar a árvore mais antiga do mundo. De acordo com um estudo conduzido no país, um cipreste patagônico, conhecido como “bisavô”, pode ter mais de 5.000 anos de idade.

A conífera nativa do Chile e da Argentina conta com um tronco de quatro metros de espessura e está na mesma família das sequoias gigantes, podendo chegar a até 45 metros de altura, em um crescimento considerado devagar por especialistas.

Leia mais

+ Floresta primitiva é encontrada dentro de buraco gigante na China

+ Conheça o casal que pretende visitar todos os 74 parques nacionais do Brasil

+ Surfista faz resgate “no limite” de dois banhistas na França

Jonathan Barichivich, cientista que liderou o estudo, aponta que a amostra extraída e outros métodos de datação sugerem que a árvore terá até 5.484 anos.

Ou seja, a árvore existiu antes do que as Pirâmides de Gizé, no Egito, acompanhando ainda o período pré-histórico da Idade da Pedra (em que o ser humano ainda não tinha começado a trabalhar o metal para fazer os seus utensílios).

Ministra do Meio Ambiente do Chile, Maisa Rojas comemorou a novidade e afirmou que trata-se de uma “maravilhosa descoberta científica”.

Para comprovar a idade da árvore, ainda é necessário realizar a contagem completa dos anéis de crescimento da Fitzroya cupressoides, o que deve ser feito por Barichivich nos próximos meses, seguido da publicação formal da estimativa da idade em um jornal científico.

A pesquisa começou em 2020, quando o cientista coletou uma amostra perfurada da árvore. Na época, porém, não conseguiu atingir seu núcleo com a ferramenta usada e, desde então, vem usando modelos de computador que usam fatores ambientais e variação aleatória fatorados para identificação da possível idade da conífera.

Atualmente, o recorde de árvore mais antiga do mundo está com um pinheiro bristlecone de 4.853 anos na Califórnia conhecido como “Matusalém”. Caso a pesquisa comprove a idade do “Bisavô”, o posto passará a habitar seu vale no Parque Nacional Alerce Costero, no Chile.

-Publicidade-