Jaqueline Mourão se torna recordista do Brasil em participações olímpicas

Por Redação

Jaqueline Mourão representa o Brasil no esqui cross-country em Pequim. Foto: Reprodução / Instagram.

Pouco mais de seis meses depois de competir no MTB em Tóquio, a brasileira Jaqueline Mourão classificou-se para disputar o esqui cross-country dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.

+ Tudo o que você precisa saber sobre as Olimpíadas de Pequim
+ Veja os 11 atletas que vão representar o Brasil nos Jogos de Inverno 2022
+ Esta foi a primeira mulher não branca a atravessar o polo sul esquiando

Essa será a oitava Olimpíada da mineira de 46 anos, que isolou-se como atleta brasileira com mais participações olímpicas. Com a ida a China no próximo mês, Jaqueline deixa para trás o velejador Robert Scheidt, a jogadora de futebol Formiga e o cavaleiro Rodrigo Pessoa, todos com sete participações nos Jogos.

“Vai ser uma emoção muito grande chegar à minha oitava Olimpíada. Eu gosto de desafios, de representar o meu país. É algo que sou apaixonada e a minha vida sempre foi provar o contrário. Eu nunca fui considerada uma atleta, um talento, então eu tive que provar com muito trabalho que eu merecia o meu lugar ao sol” disse Jaqueline ao site GE.

A estreia olímpica da mineira de Belo Horizonte foi em Atenas, na Grécia, 2004, no ciclismo mountain bike. Depois, participou de Turim, na Itália, em 2006, no esqui cross-country. Em Pequim, na China, no ano de 2008, voltou a competir nos Jogos de Verão, no ciclismo. Aí uma sequência de três Jogos de Inverno: Vancouver, no Canadá, 2010, Sochi, na Rússia, 2014, em que participou de duas modalidades: no biatlo e no cross country, e em PyeongChang, na Coreia do Sul, em 2018.

Em Tóquio, no ano passado, Jaqueline competiu no cross-country e ficou na 35ª colocação. Para a atleta, o contexto totalmente diferente das demais Olimpíadas por causa da pandemia deu um gosto especial aos Jogos de Verão disputados no Japão.

“A preparação não foi a ideal, tivemos muito contratempos, tivemos que parar de treinar. Todos que estiveram lá representaram o que é o Olimpismo: lutar e representar da melhor maneira possível. Feliz que Tóquio 2020 ocorreu e que todos os atletas puderam realizar seu sonho de estar nos Jogos Olímpicos” comentou na ocasião.

Jaqueline é aficionada por esportes desde criança. Antes de iniciar no ciclismo aos 15 anos, praticou natação, ginástica artística, atletismo e alguns jogos coletivos. Sua primeira competição internacional foi em 1997, quando representou o Brasil no Campeonato Mundial de Mountain Bike em Château D’Oex (Suíça) na modalidade down hill.

No ano seguinte, porém, a mineira sofreu uma séria lesão na perna esquerda durante um treinamento de down hill. Ao voltar para o esporte, Jaqueline decidiu dedicar-se ao ciclismo MTB cross country. Tanta dedicação levou a atleta à sua primeira Olimpíada em 2004, quando chegou a Atenas como 9ª do ranking da União Ciclística Internacional (UCI). Dois anos depois, lá estava ela competindo nos Jogos Olímpicos de Inverno pela primeira vez, agora no esqui cross-country.

“Sou a primeira mulher a representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Inverno e Verão. Sou a primeira mulher brasileira a representar o Brasil no mountain bike e no biatlo. Então eu sempre acredito que as coisas podem acontecer, essa é a minha bandeira. Fico muito feliz em saber que as pessoas se inspiram na minha história. Nada impossível, né? É só a gente colocar determinação que os nossos sonhos acontecem”, destacou.

Eleita cinco vezes pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) como a melhor atleta do mountain bike (de 2002 à 2006) e escolhida como a melhor atleta dos esportes da neve brasileira em 2012, Jaqueline terá a companhia de Bruna Moura em Pequim. Ajudada pela própria Jaqueline no início da carreira, a colega de esqui cross-country chega à sua primeira Olimpíada após superar um grave problema cardíaco.

“Fico muito feliz pela Bruna por toda a história de superação dela, de enfrentar essa doença, que foi algo que ela descobriu. Hoje ela está tendo uma segunda chance, ela já é uma vencedora e essa Olimpíada vai ser a cereja do bolo para ela. Esperamos escrever uma história linda competindo juntas nesses Jogos de Pequim” finalizou Jaqueline Mourão.

As Olimpíadas de Jaqueline Mourão

Verão

Atenas 2004 – ciclismo mountain bike (cross-country)
Pequim 2008 – ciclismo mountain bike (cross-country)
Tóquio 2020 – ciclismo mountain bike (cross-country)

Inverno

Turim 2006 – esqui cross-country
Vancouver 2010 – biatlo e esqui cross-country
Sochi 2014 – biatlo e esqui cross-country
PyeongChang 2018 – esqui cross-country
Pequim 2022 – esqui cross-country

-Publicidade-