Alpinista argentino sobrevive após ficar soterrado por 23 minutos durante avalanche

Por Redação

avalanche
Foto: Reprodução / GoFundMe.

Experiente montanhista argentino, Guillermo “Willie” Benegas acabou soterrado ao ser atingido por uma avalanche enquanto guiava um grupo de seis esquiadores em Utah, nos Estados Unidos.

Leia mais

+ Como controlar o psicológico em alta montanha

+ Fitz Roy: brasileiros no topo de uma das montanhas mais perigosas do mundo

Embora esteja fora de perigo, o alpinista sofreu múltiplas fraturas nas costelas e um de seus pulmões foi gravemente danificado.

O episódio ocorreu em 12 de março em Big Cottonwood Canyon, mas veio à tona recentemente depois que Willie relatou o acidente no blog pessoal de seu colega, Alan Arnette.

O montanhista ficou preso por 23 minutos sob dois metros de neve. Ele havia transmitido anteriormente ao grupo que coordenava como agir nesse tipo de situação.

Felizmente, ele foi resgatado pelos alpinistas que o acompanhavam.

“Eu estava sentado em uma área íngreme sob algumas rochas, observando meus clientes descerem a encosta. Não me lembro como quebrou, mas a laje se soltou. Gritei ‘avalanche’, mantendo meus olhos nos meus clientes. A última coisa de que me lembro foi de ver meu cliente esquiando em segurança quando comecei a surfar na onda. Depois, tudo ficou em branco”, disse Benegas.

Apesar de sua experiência comprovada em subidas às montanhas mais altas do mundo, incluindo o Monte Everest (o qual escalou 26 vezes e chegou ao cume 13), o montanhista argentino não conseguiu escapar da gigantesca massa de neve que caiu sobre seu corpo.

“A neve cobria todo o meu corpo, não me permitia me mexer, me sentia completamente paralisado. Depois que parei, pedi ajuda três vezes, mas depois minha experiência de sobrevivência começou fazer a diferença e me acalmei, sabendo que meus companheiros de equipe começariam a me procurar”.

Enquanto seus companheiros de grupo cavavam em diferentes pontos em busca de sua posição, um deles ligou para o 911 para solicitar reforços. De acordo com o Utah Avalanche Center, cinco minutos após a liberação, o grupo de busca e resgate chegou e levou mais uma hora para chegar ao local da zona de pouso para finalizar a evacuação por helicóptero.

“Willie” foi levado de helicóptero para um hospital local em estado crítico, mas estável. Lá foi constatado que ele havia sofrido a fratura de seis costelas (quatro do lado esquerdo e duas do lado direito), além da perfuração de um de seus pulmões e ferimentos no rosto devido ao forte impacto. O argentino estimou que a recuperação levará cerca de dois meses.

Para ajudar financeiramente “Willie” em sua reabilitação, Karen Diener, uma montanhista argentina, abriu um financiamento coletivo no GoFundMe.

Com informações de Blog de Escalada.

-Publicidade-