Aline Simões alcança ouro inédito para o Brasil no XCE do Pan-Americano de MTB

Foto: divulgação

Além do ouro de Henrique Avancini no Cross Country Olímpico (XCO), a atleta Aline Simões, de Rio Preto (SP), também foi contemplada com o lugar mais alto do pódio no Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike. A ciclista conseguiu o feito histórico na categoria Eliminator (XCE) feminino que aconteceu na quinta-feira (26), em San Fernando Del Valle de Catamarca, na Argentina. Essa foi a primeira competição internacional da atleta e primeiro título da categoria para o Brasil.

+ Entenda como serão definidas as vagas olímpicas de mountain bike para Paris-2024

+ 9 dicas para mandar bem no mountain bike

+ 4 destinos para pedalar e surfar no mesmo dia

“Foi a minha primeira experiência com esse tipo de prova, mas já havia corrido em modalidades com velocidade. Andei estudando antes e peguei algumas informações com outras atletas. Começamos com uma tomada de tempo, um contrarrelógio na pista que tinha cerca de 2 minutos. Nesta primeira etapa eu fiz o melhor tempo, o que me favoreceu podendo escolher as raias de largada. Depois disso passamos para as baterias, formada por três ou quatro mulheres. Levei a segunda colocação na bateria 2, venci a terceira e também a quarta. Uma sensação incrível, levando um título inédito para o Brasil e para a minha carreira”, afirmou Aline Simões.

Aline recebe apoio da prefeitura de Rio Preto-SP e faz parte dos atletas com direito a auxílio do poder público. Agora, o próximo desafio será a Copa do Mundo de Mountain Bike Cross Country, na Áustria, em 12 de junho.

O formato de provas XCE acontece com baterias de quatro a seis atletas. Os dois mais rápidos são classificados para a próxima etapa. O número de largadas depende do número de atletas e vai acontecendo até que chegue na bateria final onde serão definidos os campeões no masculino e feminino.

A brasileira Marcela Lima ficou com a medalha de bronze na mesma prova. Durante a classificatória, Aline Simões e Marcela venceram e avançaram. Na semifinal, Marcela venceu e Aline ficou em segundo lugar e igualmente se classificaram. Na final, com as duas brasileiras, Aline acelerou, Marcela chegou a manter a segunda posição, mas a equatoriana Michela Molina a ultrapassou.

A pista do XCE pode ter uma extensão de 500 metros a um quilômetro, exigindo do atleta requisitos como força, explosão, coragem, determinação e técnica.

 

-Publicidade-