6 coisas que aprendi com a corrida

Cacá Filippini

Foto: Shutterstock.

Não é novidade pra ninguém que o meu retorno às corridas está parecendo uma novela mexicana: cheia de acontecimentos, adversidades e surpresas não tão positivas. Foram muitos desencontros entre o que quero e o que meu corpo consegue fazer.

+ Bora começar os treinos de corrida?
+ 6 dicas para passar mais tempo em família
+ Por onde começar para fazer uma maratona

Não diferente de quem quer começar ou voltar após um tempo parado, minha jornada me ensinou algumas coisas que podem ser aplicadas para qualquer pessoa que está a fim de percorrer os primeiros quilômetros. E pensando nisso, listei seis pontos que considero de extrema importância:

corrida
Corrida é uma atividade democrática e pode ser praticada quase que por todos. Foto: Arquivo pessoal.
1 – Paixão pela corrida

Assim como qualquer coisa que fazemos, se não tivermos paixão e prazer, não há motivação que dê conta. Correr pra “cumprir tabela” não é duradouro e já vi muita gente começando e desistindo, em especial quando buscam sair do sedentarismo ou emagrecer.

É o prazer que você sente, que falará mais alto que a preguiça de calçar os tênis e correr, depois de um dia puxado ou naquela manhã que a cama não quer deixar você ir. É a paixão que fará você vibrar a cada nova conquista. E é a combinação desses dois sentimentos que te fará cada nova planilha de treinos, mesmo quando parecer quase que impossível!

2 – Meta

Uma vez que você estabelece aonde quer chegar e junta com o sentimento que aquela prática esportiva te proporciona, mesmo na dificuldade, você sabe qual é sua linha de chegada e faz os devidos ajustes para alcançá-la. Por isso, a importância de ter uma boa assessoria de corrida (tema do meu último artigo).

Ajustes são necessários e às vezes, dar um passo atrás, pode significar o impulso que você precisa para ir mais longe. E posso dizer para vocês com o coração bem tranquilo que, cada ajuste, me fez corrigir a rota e na sequência, me fez avançar em melhores condições! Daí, meu próximo aprendizado…

3 – Respeitar nossos limites

Saber a hora de parar, é essencial! Persistir em algo que não está dando certo, só aumenta a distância que você está hoje, da linha de chegada que você colocou como meta.
E não estou falando apenas no dia de descanso, que também faz parte do treino. Estou indo além…

Durante essa fase de retomada, vivi momentos de muita dor, que me derrubaram e causaram sofrimento, fosse pela condição cardiorrespiratória, ou principalmente, por dores físicas, como cãibras e pernas inchadas. Aprendi, literalmente na dor, que se não dá, não dá! O melhor é se respeitar, ouvir seu corpo e dar tempo ao tempo.

corrida
É o prazer que você sente pela corrida que falará mais alto que a preguiça. Foto: Arquivo Pessoal.
4 – Respira e não pira

É a melhor forma de baixar a ansiedade e entender que há um processo a ser seguido. Sabe aquele lance do “Aproveitar o caminho” e não simplesmente, a chegada? Pois bem, na corrida, é isso. Temos um passo a passo, ou melhor, treino a treino, por isso, meu treinador Marcos Paulo Reis repete constantemente, que: “Se eu não faltar aos treinos, vou alcançar minha meta!”

5 – Eu posso, se acreditar que posso

Complementando o item 4 e trazendo uma pitada de “coach motivacional”, em geral, a corrida é uma atividade bastante democrática e pode ser praticada quase que por todos, salvo aqueles que têm restrições médicas.

O importante aqui é entender que você tem a sua história, seu físico, sua performance e não tem que se comparar com o outro, que talvez, corra há mais tempo, tenha um melhor físico ou uma condição mais favorável para a corrida. Então, comece aos poucos. Vá na sua velocidade. Encaixe na sua rotina. Experimente.

6 – Alimentação é combustível

Por fim, e talvez uma das coisas mais importantes é: alimente-se adequadamente, se você quiser ir mais longe.

Assim como um carro, seu corpo é seu veículo e precisa de combustível. Dietas muito restritivas ou de baixa caloria, serão grandes vilões durante o seu treino e possivelmente, não te deixarão construir aquele sentimento gostoso de sentir o ventinho no rosto, curtir uma música e pensar na vida. O ideal, é buscar um profissional que adequará sua dieta, de acordo com as atividades que você faz no seu dia a dia.

Com essas dicas, tenho certeza de que a distância entre você e seu primeiro quilometro não será tão longa quanto você pensa! Eu sou Cacá Filippini, estou me preparando para meus primeiros 42,195km e espero te ver correndo por ai!

-Publicidade-