Redescobrindo o Brasil por meio do highline

Gaúcho se apaixonou pelo esporte na Europa e volta para o país a fim de divulgar e expandir o slackline

Angelo Maragno na Cachoeira da Fumaça, em Nova Ponte - MG

Por Thaís Valverde

Quando me deparei com o perfil do Instagram de Angelo Maragno a primeira vista imaginei que era alguma atleta estrangeiro aproveitando as belas paisagens naturais do Brasil para praticar highline. O nome e os traços mais europeus são de um jovem que nasceu em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, e que descobriu a paixão pelo slackline em 2016, quando foi estudar em Londres. De volta as origens, Angelo está com um projeto de viajar o país através do slackline com o intuito de divulgar e expandir ainda mais o esporte no Brasil.

Com o trabalho de produção de vídeos, o gaúcho tem feito registros incríveis desta aventura nas alturas. Angelo também compartilhas suas experiências em um blog.

GO OUTSIDE: Como e quando você começou a praticar slackline?

ANGELO: Eu fiz slackline pela primeira vez na minha cidade natal Caxias do Sul/RS, no começo era um hobby de final de semana e não praticava com tanta frequência. Foi somente em fevereiro de 2016, quando ja morava em Londres, que tive realmente contato com o esporte e comecei a praticar. Depois de algumas semanas de slackline no parque eu tive a primeira oportunidade de fazer um Highline (foram 15m de altura). Fique extremamente viciado pela adrenalina e pelo desafio. Após dois meses eu estava deixando Londres e começando um tour pela Europa viajando para festivais de highline.

Hoje o esporte faz parte da minha vida, e é meu melhor sentimento e não imagino minha vida sem o slackline. O desejo incessante pelo desafio, pela evolução constante. Através do slackline eu conheci países, lugares, culturas e experiências que jamais havia pensado em experimentar.

GO OUTSIDE: Como vai ser o tour nacional de highlines? Já tem o roteiro definido e por quais cidades você já passou?

ANGELO: A ideia de viajar o país através do slackline veio com o intúito de divulgar e expandir ainda mais o esporte no Brasil. E para estrear minha volta ao país, o meu primeiro highline foi em Canela, no Evento Caracol por um Fio em uma cachoeira a 100 metros de altura. Logo após o evento fui para a região do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Uberaba e de lá, parto para o Festival de highline Gravatation em Florianópolis, e pretendendo participar ainda de alguns outros festivais no Brasil.

GO OUTSIDE: Qual lugar no Brasil você está ansioso em fazer highline?

ANGELO: Estou muito ansioso para conhecer Florianópolis, a ilha da magia, vou a um dos maiores festivais de highline da América latina, o Gravatation.

GO OUTSIDE: Como está sendo a experiência de conhecer o Brasil por meio deste esporte?

ANGELO: Eu sempre tive o sonho de viajar e conhecer o Brasil e agora estou tendo a oportunidade de descobrir a cultura de outras regiões do país com um olhar diferente, ensinando e aprendendo a todo momento e também através da minha câmera eu tento transmitir um pouco dos sentimentos do slackline, dos momentos compartilhados e dos momentos de superação dos amigos.