Jogos Olímpicos de Tóquio serão adiados para 2021

Jogos Olímpicos de Tóquio adiados
Imagem Shutterstock

Os Jogos Olímpicos de 2020 serão adiados por um ano por causa da epidemia de coronavírus. O primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, fez hoje a proposta para o presidente do COI, que concordou. A decisão de adiamento não tem precedentes em toda história dos Jogos Olímpicos.  

“Propus o adiamento em um ano e Bach, o presidente do COI, respondeu que concordava 100%”, disse Shinzo Abe. Ontem, um membro do Comitê Olímpico Internacional, Dick Pound, já havia comentado publicamente que o cancelamento aconteceria.

A decisão veio na sequência do anúncio do presidente da Associação Olímpica Britânica de que a Grã-Bretanha não deveria mandar uma delegação para os jogos de Tóquio. Austrália e Canadá já haviam anunciado que não vão participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio. 

Apesar do prazo de quatro semanas que o COI havia se dado para decidir o futuro dos Jogos Olímpicos, mas Pound deixou escapar que a decisão seria anunciada em breve. “Virá em etapas”, afirmou. “Vamos primeiro adiar e começar a lidar com os desdobramentos desse adiamento, que serão imensas.”

Com isso, modalidades de esportes outdoor que iriam estrear nesta Olimpíada terão de esperar mais um ano: escalada, skate, surf e BMX freestyle. Entre os atletas brasileiros que já estavam qualificados, estavam Gabriel Medina, Italo Ferreira e Silvana Lima no surf. Skatistas como Pâmela Rosa, Leticia Bufoni e Rayssa Leal concorreriam pela vaga olímpica, dependendo de etapas de mundial que estão em suspenso. Na escalada, nenhuma atleta brasileiro se qualificou. E no BMX, Paola Reis e Priscila Stevaux concorriam por uma vaga, a depender da colocação no ranking mundial em junho.

“Vamos nos unir ao Canadá e a à Austrália”

Canadá e Austrália já haviam anunciado sua retirada dos Jogos Olímpicos quando o presidente da Associação Olímpica Britânica Hugh Robertson disse que esperava que a Grã-Bretanha tomasse a mesma decisão “em breve”. 

“Não vemos nenhum cenário em que se possa ir adiante com os Jogos da forma que as coisas estão no momento”, disse Robertson“Antes de mais nada, eu não vejo como os atletas poderiam estar prontos. Os centros de treinamento de elite por todo o país estão fechados, então não tem como os atletas darem continuidade à preparação que eles deveriam estar fazendo para os Jogos Olímpicos”, disse Robertson à Sky Sports News. “Além disso, é inapropriado dar seguimento a Jogos Olímpicos em tempos como estamos vivendo.”

Canadá: primeira retirada

O Canadá foi o primeiro grande país a anunciar sua decisão. O comitê canadense disse que tomou a “difícil decisão” de se retirar depois de falar com atletas, federações e com o governo. E fizeram um ” apelo urgente” ao COI, ao Comitê Paralímpico Internacional e a Organização Mundial de Saúde para adiar por um ano as Olimpíadas.

“É claro para nós que os Jogos não podem acontecer em julho”, disse o chefe de missão da Austrália Ian Chesterman, na última segunda-feira (23). “Nossos atletas foram incríveis em sua atitude positiva e nos treinos, mas o estresse e a incerteza tem sido extremamente desafiadores para eles.”

Organizações como a Associação Internacional de Federações de Atletismo também se manifestaram contra a realização dos Jogos na data prevista. O presidente da associação Lord Coe pediu seu adiamento por causa da pandemia, em uma carta ao COI. Na carta, ele listou três grandes razões para o adiamento: para que as competições sejam justas, já que desde o começo da crise muitos atletas estão impedidos de treinar; risco de lesões, uma vez que os atletas podem buscar alternativas de treino desesperadas e inadequadas; e o bem estar emocional dos atletas, que obviamente está causando uma situação de estresse fora do normal. 

O bem estar emocional dos atletas foi citado também pelo presidente do Comitê Olímpico japonês, Yasuhiro Yamashita, que disse na segunda que um adiamento longo seria um fardo para os atletas que estão se preparando. 

O adiamento terá grandes implicações. De cancelamentos de diárias de hoteis ao calendário internacional de pelo menos 33 esportes olímpicos, tudo terá que ser adaptado.