Uma coisa é chegar ao topo de uma montanha. Outra coisa é ficar lá por um longo tempo, independente do clima. Serena Williams, Tom Brady, Lebron James e Diana Taurasi são exemplos notáveis e atuais ​​de esportistas de elite. Eles subiram a grandes alturas, conseguiram elevar a performance de alguma forma, e conseguiram ficar lá.

Ao contrário desses gigantes, você pode não ser o melhor do mundo no que faz. Mas a verdade é que você não precisa ser. Após anos de pesquisa, a melhor definição que eu propus para o desempenho máximo é expressar todo o seu potencial de maneira sustentável – e se sentir bem enquanto você o faz. Em outras palavras, o desempenho máximo é um jogo interno. E isso pode ser alcançado por qualquer pessoa, isso significa ganhar Super Bowls e Grand Slams ou terminar uma corrida de 5K. É sobre tirar o melhor proveito de si mesmo, repetidamente.

Embora alcançar esse estado resulte de uma soma de fatores, existem algumas práticas essenciais necessárias para o desempenho máximo em praticamente qualquer empreendimento. Todos são simples. No entanto, nenhum é fácil.

Saiba como começar

Em seu livro Turning Pro: Tap Your Inner Power and Create Your Life’s Work, o autor best-seller Steven Pressfield escreve: “O profissional não espera por inspiração; ele age antecipando isso”. O desempenho máximo é, na verdade, uma prática contínua. Ou, como Pressfield escreve: “É o exercício diário dedicado de comprometimento, vontade e intenção focada”.

Embora possa ser útil projetar seu ambiente e desenvolver rotinas que ajudem a elevar a sua performance, tudo depende de você. Infelizmente, não existe um programa elaborado que o ajude. Sem chá, loção, poção ou pílula especial. Você apenas tem que fazer isso. Todo dia. Um equívoco comum é que você precisa estar de bom humor ou se sentir motivado para seguir em frente. Mas acontece que, em muitos casos, o oposto é verdadeiro. O humor segue a ação.

“As emoções vêm e vão”, diz Rich Roll, atleta de endurance e apresentador de podcast. “Às vezes é melhor não combater um sentimento de tristeza, mas apenas aceitá-lo.” No entanto, Roll diz que isso não significa que você precise ceder a essas emoções negativas. “Se estou me sentindo triste, me forço a mover meu corpo, mesmo que só um pouquinho. Isso ajuda a mudar minha perspectiva e redefinir meu sistema operacional – e mais frequentemente, o sol começa a brilhar novamente.”

Em termos científicos, Roll está descrevendo a ativação comportamental. Nosso cérebro adora nos proteger da ansiedade, do medo e do fracasso, por isso envia fortes mensagens emocionais nos dizendo para permanecermos no lugar. A melhor maneira de mudar esses sentimentos é muitas vezes simplesmente começar a agir. “A capacidade de superar a resistência, a auto-sabotagem e a dúvida é muito mais importante que o talento”, escreve Pressfield.

Saiba como continuar

Quem já perseguiu um grande objetivo sabe que há momentos em que é realmente difícil continuar. Fadiga, tédio e medo do fracasso são todos obstáculos comuns. É muito mais fácil superar esses obstáculos quando você não está sozinho. Pesquisas mostram que fazer parte de uma comunidade reforça a motivaçãocria um senso de responsabilidade. Quando você cai, outros estão lá para buscá-lo.

Além da comunidade, lembrar por que você está fazendo o que está fazendo pode ajudá-lo a persistir, especialmente durante períodos de baixa energia. Estudos mostram que indivíduos com um forte senso de propósito têm menos probabilidade de se desgastar. Propósito e comunidade trabalham de mãos dadas: muitos de nós obtêm significado de nossa comunidade e, quando nosso senso de propósito está oscilando, nossa comunidade está lá para nos apoiar e sustentar.

Saber parar

O paradoxo de treinar duro é que é ótimo até que não seja mais. Quando ultrapassamos limites da força, lesões, tanto físicas quanto emocionais, tendem a surgir. É importante lembrar que o caminho para qualquer objetivo a longo prazo requer períodos de estresse e descanso. Independentemente do empreendimento, o progresso a longo prazo se refere menos aos esforços heroicos e mais ao ritmo inteligente.

O técnico de corrida Mario Fraioli me disse muitas vezes que uma das coisas mais importantes que ele tenta se comunicar com seus atletas é “pare por um momento”. Embora possa ser tentador continuar forçando o seu corpo, ele diz: “Você quer ser capaz para continuar de onde parou, o que significa que você não pode se acabar em todos os exercícios.”

Em primeiro lugar, saber como começar e seguir em frente pode parecer contraditório com saber parar. E, no entanto, parece que o que dá origem ao desempenho máximo está transformando essas habilidades aparentemente opostas em um ciclo contínuo. Infelizmente, ainda não encontrei uma ‘bala de prata’ para elevar a performance. Mas sua melhor aposta é tratar seu próprio caminho de desempenho como um experimento, prestando muita atenção ao seu corpo e mente e se ajustando à medida que avança.