Surfando corredeiras

É possível ser surfista morando em um estado sem saída para o mar? Claro que sim!

 

DE SUP: Fazendo a cabeça longe do mar (Foto: canisurfthat.com)
DE SUP: Fazendo a cabeça longe do mar (Foto: canisurfthat.com)

Por Camila Junqueira

Desde pequena o sonho da norte-americana Brittany Parker era ser surfista, porém um obstáculo a impedia – ela morava em Glenwood Springs, no Colorado, quase 2.000 metros acima do nível do mar e a mais de 1.500 quilômetros da praia. Até que, em 2011, ela conheceu uma galera que praticava stand-up paddle na região das Montanhas Rochosas e, desde então, cai na água (ou melhor, nos rios) praticamente todos os dias. No documentário Can I Surf That? (veja um teaser abaixo) Heather Jackson acompanhou Brittany e outras três surfistas durante dois anos enquanto elas exploravam as melhores ondas de água doce da América do Norte. Ao longo da jornada, elas se deram conta de que “todo mundo está procurando novas formas de explorar as corredeiras de suas regiões, e o stand-up é o meio para isso”, conta Brittany. Para que se formem ondas em rios, é preciso gravidade, ou seja, rios com inclinação e montanhas. A seguir, saiba quais foram as principais ondas de águas brancas que elas pegaram, entre o oeste do Colorado e as Montanhas Rochosas canadenses.

Glenwood >> Glenwood Springs é a meca do surf de rio do Colorado. Em junho, seu volume de água chega a aumentar dez vezes e até mesmo surfistas de oceano vão até lá conferir seu potencial. Nos últimos anos, tem sido difícil encontrar lugar para estacionar nos finais de semana, quando podem se juntar cerca de 20 surfistas num mesmo pedaço de rio.

Lochsa Pipeline >>
O nome, que faz alusão ao famoso pico de surf no Havaí, já diz muito. Trata-se de uma onda gorda, de contornos arredondados. Fica no interior de Idaho, e lá a água é tão transparente que o surfista pode ver o leito do rio, como se estivesse surfando sobre um recife oceânico.

Lunch Counter >> Menos explorada pelos surfistas de stand-up, esta onda do rio Snake, em Wyoming, é velha conhecida dos canoístas. Foi a mais desafiadora das encaradas pelas garotas, por ser irregular, imprevisível, rápida e vertical.

Skookumchuck >> Talvez a mais lendária das ondas de rio, fica na região de Sunshine Coast, na Colúmbia Britânica (Canadá). Foi a que exigiu mais planejamento da equipe porque sua temporada é pequena e as condições podem ser perigosas. É de difícil acesso – para chegar até o pico é preciso remar desde Egmont ou fazer uma trilha, ambas as atividades duram cerca de uma hora.

>> Can I Surf That?, de Heather Jackson. canisurfthat.com. Faça o download AQUI ; US$ 4 | canisurfthat.com 

https://vimeo.com/98700824

-Publicidade-