Reduza as telas antes de dormir e melhore seu sono

Por Redação

telas antes de dormir
Imagem: Shutterstock

Exercitar melhora seu sono, como indica esta pesquisa. Mas se você quer um sono de qualidade, reduza as telas antes de dormir. A conclusão é de uma nova pesquisa na revista Sleep.

+ Aqui estão os 6 melhores chás para te ajudar a dormir

+ 6 alimentos que estragam sua noite de sono

+ A pandemia está afetando seu sono e isto é ruim

Os pesquisadores observaram dois períodos de tempo diferentes durante o lockdown contra a Covid-19 na Itália, comparando a terceira semana de restrições com a sétima semana. Durante esse período, o volume de tráfego da Internet quase dobrou em relação ao ano anterior. Usando uma pesquisa baseada na web com cerca de 2.000 pessoas, eles coletaram dados sobre a qualidade do sono, sintomas de insônia e uso de dispositivos eletrônicos ligados à internet.

Cerca de 92% das pessoas relataram um aumento no uso de dispositivos eletrônicos entre a primeira e a segunda pesquisas, e todos esses entrevistados tiveram um aumento nos problemas de insônia, menos tempo para dormir, hora de ir para cama mais tardia e hora de acordar mais tardia.

Um pequeno número de entrevistados – cerca de 7% – relatou uma diminuição no tempo de tela à noite e também notou que melhorou a qualidade do sono. Eles também relataram ir para a cama mais cedo, após quatro semanas de bloqueio. Um grupo ainda menor de entrevistados – cerca de 1% – não teve nenhuma mudança nos hábitos der uso destes dispositivos e também não relatou nenhuma variação em seus hábitos de sono.

Embora esses resultados pareçam específicos ao momento do Covid-19, eles provavelmente se aplicariam mesmo sem a condição do confinamento, de acordo com o primeiro autor do estudo, Federico Salfi, Ph.D. (c), no Departamento de Biotecnologia e Ciências Clínicas Aplicadas da Universidade de L’Aquila, na Itália.

De acordo com o pesquisador, o Covid-19 acabou de fornecer um contexto ideal para destacar os efeitos prejudiciais das tecnologias no sono da população em geral. Porém, considerando os mecanismos de ação envolvidos, os achados podem ser generalizados para o futuro, pois as tecnologias encontrarão cada vez mais espaço em nosso cotidiano.

A razão pela qual muita exposição a telas antes de dormir pode prejudicar a qualidade do sono está relacionada à forma como a luz afeta as funções biológica e cognitiva simultaneamente. A exposição prolongada a telas retroiluminadas antes de dormir afeta o sistema circadiano, imitando os efeitos da luz solar. Isso suprime a liberação de melatonina, o principal hormônio que regula o ritmo sono-vigília.

Além disso, de acordo com o pesquisador, o uso excessivo de dispositivos eletrônicos à noite neutraliza a sonolência natural devido ao conteúdo emocionalmente carregado. Em particular, a pandemia gerou exposição a informações estressantes repetitivas e contínuas sobre Covid-19 que podem ter provocado ansiedade e estresse emocional. Por sua vez, disse ele, isso torna muito mais difícil adormecer e pode sabotar o sono profundo durante a noite.

A lição, não surpreendentemente, é um conselho que existe bem antes da pandemia atingir: crie uma rotina de pelo menos 30 a 60 minutos antes de dormir que não envolva dispositivos eletrônicos. Essa higiene de telas antes de dormir é extremamente eficaz. Salfi acrescentou que adquirir esse hábito pode colocar seu sono de volta nos trilhos e traz todos os benefícios da melhora do modo de fechar os olhos ao longo do caminho, como mais energia durante o dia e menos ansiedade em geral.

-Publicidade-