Por que aplicativos de contagem de calorias podem ser prejudiciais à dieta?

Por que aplicativos de contagem de calorias podem ser prejudiciais à dieta?
Foto: Pexels

Se você está em uma jornada de perda de peso, talvez use — ou já tenha se interessado — por um relógio inteligente que realiza sua contagem de calorias perdidas. No entanto, é importante ter em mente que essa ferramenta, quando não utilizada corretamente, pode ser prejudicial à sua dieta.

+ O que vestir para correr em um dia chuvoso

+ 7 exercícios para aliviar as dores no joelho

+ Algoz olímpico de Gabriel Medina é criticado nas areias de Saquarema

Ao “UOL Viva Bem”, de onde são as informações, a nutricionista clínica esportiva Maíra Azevedo explica: “O fato de a pessoa fazer exercícios e gastar, por exemplo, 500 calorias, não significa que ela tem essas calorias a mais para consumir em qualquer tipo de alimento”.

De acordo com o portal, é preciso gastar sete mil calorias para eliminar um quilo de gordura. Nesse sentido, se cada caloria perdida for reposta com alimentos ricos em gorduras e açúcares, o organismo armazenará mais gordura ao invés de perdê-la.

Por isso, o déficit calórico — ingerir menos calorias do que gasta — é a maneira ideal para emagrecer. Os aplicativos e smartwatches podem ser úteis para monitorar a dieta, mas é preciso usá-los com sabedoria.

Como fazer escolhas corretas para a dieta

Para fazer um déficit calórico saudável, é importante monitorar a qualidade nutritiva dos alimentos consumidos, optando por preparos com menos gorduras e açúcares e mais proteínas, fibras e vitaminas.

De acordo com a nutróloga Bruna D’Ávila, comidas industrializadas, frituras, embutidos, refrigerantes e bebidas alcoólicas entregam calorias “sem densidade nutricional”, o que pode acarretar em condições como obesidade, hipertensão, déficit nutricional e outras.

Por isso, faça boas escolhas alimentares para emagrecer com saúde — o que, de acordo com a diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), Marcella Garcez, significa optar por “fontes de proteínas magras, carboidratos complexos, provenientes de vegetais, frutas, grãos integrais e sementes”.

Como realizar a contagem de calorias corretamente

Ao portal, Marcella ainda ressalta que “um hábito alimentar saudável é composto por 15% a 30% de proteínas, preferencialmente magras, 40% a 55% de carboidratos, sendo no máximo 10% de açúcares, além de 25% a 30% de gorduras”.

Assim, é possível obter, além do emagrecimento, hábitos que não serão abandonados após a perda de peso. Mas lembre-se: estes números são uma estimativa e, para emagrecer com saúde, o ideal é buscar a avaliação individualizada de um profissional.

-Publicidade-