Uma mulher viajou em um voo da American Airlines acompanhada de um pônei usado como animal de apoio emocional.

A passageira não foi identificada, mas o pônei, sim, chamado Flirty. O animal voou de Chicago (Illinois, EUA) a Omaha (Nebraska, EUA).

+ Passageira dorme em o voo no Canadá e acorda completamente sozinha no avião

A dona de Flirty disse na página que mantém no Instagram para o animal que não pode ter o apoio emocional de um cão por ser alérgica. Ela afirmou que treina equinos.

Animais são autorizados em voos a passageiros que tem problemas psicológicos, como depressão e ansiedade. Algumas companhias aceitam apenas cães como animais de apoio emocional. Estes animais são diferentes de cães-guias, destinados a deficientes físicos.

A presença do pônei gerou um certo estranhamento entre outros passageiros, no entanto fez sucesso entre os tripulantes da aeronave.


No mês passado, o Departamento de Transportes dos EUA emitiu uma “declaração final de prioridades de execução” para esclarecer que ainda seriam permitidos cavalos em miniatura a bordo de aviões comerciais, assim como gatos e cães.

No entanto, ainda cabe às companhias aéreas decidir quais animais são permitidos a bordo como animais de apoio emocional – e também quantos podem viajar com o passageiro.