Paraglider Rafael Goberna faz voo na Marquês de Sapucaí

Por Redação

Paraglider Rafael Goberna faz voo no Sambódromo do Rio
Foto: Marcelo Maragni / Red Bull Content Pool

Em meio às homenagens aos 40 anos da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, o paraglider Rafael Goberna realizou um sobrevoo no local durante o Desfile das Campeãs, na madrugada deste domingo (18). O voo durou seis minutos e o atleta pousou próximo ao Grande Arco.

+ Quem foi Major Taylor, a primeira lenda negra do esporte mundial

Com apenas 12 anos, Rafael entrou no Guinness Book por conta de um voo na cidade de Andradas-MG em 2007. Ele então seguiu a carreira na Europa, subindo no pódio da Copa do Mundo de Acrobacia em Parapente diversas vezes.

O atleta conta que a ideia de sobrevoar o Sambódromo surgiu há cerca de oito anos. “Foi quando eu vi o meu amigo Gui Pádua descendo de paraquedas e, depois, quando eu vi drones na Sapucaí, eu tive certeza. Eu estava assistindo e já vislumbrei como seria promover um espetáculo de paramotor. Eu nunca desfilei na avenida, então, agora foi o meu primeiro (risos)”, afirma Rafael, que já realizou voos em pontos turísticos do Rio, tais como Bondinho, Cristo Redentor e São Conrado.

Confira o voo de Rafael na Sapucaí:

Para realizar o voo na Sapucaí, o atleta utilizou um paramotor e fez diversos estudos, principalmente por conta das potenciais variações climáticas devido à velocidade do vento. “O equipamento é altamente tecnológico, tem mais potência do que o comum e pesa cerca de 30kg. Além disso, ele traz uma série de efeitos especiais que o público pôde ver, como as trocas de cores, formato das luzes, entre outros”, completa Goberna.

Durante os 40 anos, a Marquês de Sapucaí (Passarela Professor Darcy Ribeiro) teve em voos alguns dos seus momentos mais emblemáticos. Em 2001, a Grande Rio levou à Sapucaí um dublê de uma empresa de efeitos especiais americana para fazer quatro voos na avenida, por meio de uma máquina de propulsão a jato criada pela NASA. Em 2010, a mesma agremiação teve um ‘Homem-voador’, que utilizava um jetpack, ao passo que, em 2015 e 2016, foi a vez da Portela levar paraquedistas ao Sambódromo. Neste último, Gui Pádua foi um dos destaques.







Acompanhe o Rocky Mountain Games Pedra Grande 2024 ao vivo