Para aqueles que podem ficar em casa, têm suas camas e várias assinaturas de sites de streaming, o período de isolamento social, por mais angustiante que possa ser, pode ser pelo menos confortável. Mas, para outros que foram pegos pelo surto em locais menos favoráveis, as condições estão complicadas. Aqui estão alguns dos lugares mais estranhos em que as pessoas se encontram em quarentena ou se isolando para fazer você se sentir um pouco menos desesperado por ficar preso em casa.

Os lugares mais estranhos em que as pessoas foram colocadas em quarentena:

Navios de cruzeiro

A Diamond Princess ganhou notoriedade no início deste ano, quando um surto de COVID-19 interrompeu sua viagem no porto de Yokohama, no Japão. O navio viu seu primeiro caso quando um homem de 80 anos embarcou em Yokohama em 20 de janeiro. Em sua próxima parada, realizada no porto de Yokohama, 10 turistas a bordo deram positivo para a doença. A COVID-19 continuou se espalhar pelo navio de 4 de fevereiro até 1º de março, quando todos os turistas e funcionários foram finalmente autorizados a sair do navio.

A mesma situação ocorre em outros navios pelo mundo. No Brasil, os 757 tripulantes do navio transatlântico Costa Fascinosa, atracado no Porto de Santos desde o último sábado (28), continuam em quarentena determinada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Sete tripulantes desembarcaram para ser hospitalizados. Dois testaram positivo para COVID-19.

Embora estar preso em uma cabine totalmente mobiliada com serviço de quarto possa não parecer tão ruim, muitas das cabines são muito pequenas e algumas nem têm janelas.

Cientistas isolados no Ártico

Uma expedição de pesquisa no Ártico teve que ser interrompida devido a um membro da equipe no projeto ter um resultado positivo para o COVID-19. A missão, chamada MOSAiC, estava desde outubro de 2019 estudando os efeitos do aquecimento global no Ártico, no navio Polarstern, quebra-gelo alemão de pesquisa do Instituto Alfred Wegener de Pesquisa Polar e Marinha em Bremerhaven. Os cientistas da expedição devem ficar presos lá por mais 3 meses.

Submarinos

Um empreiteiro civil entrou recentemente no submarino Orel, um submarino movido a energia nuclear da classe Oscar II, pertencente à Marinha Russa. A visita fez parte de uma viagem de negócios e, infelizmente, mais tarde foi revelado que o civil entrou em contato com alguém que testou positivo para o COVID-19. Como tal, toda a equipe, estimada em cerca de 100 pessoas, foi colocada em quarentena.

Em outras partes do oceano, um grande número de submarinos realizando missões importantes não faz ideia de que a pandemia esteja acontecendo. As notícias sobre a pandemia não são enviadas aos que trabalham a bordo de submarinos balísticos para preservar as missões, o que significa que as equipes que circulam atualmente em nossos mares não têm ideia da situação que está se desenrolando no topo.

Um hospital abandonado

Três mulheres britânicas foram colocadas em quarentena em um hospital abandonado no Vietnã depois que tripulantes de um voou de Londres para Hanói foram diagnosticados com  COVID-19. A mulheres foram localizadas em Hạ Long Bay pelas autoridades locais e removidas de seu hostel. Depois disso, seus colchões e tudo o que tinham entrado em contato foram queimados. Elas foram mantidas isoladas enquanto os médicos aguardavam os resultados de seus testes para SARS-CoV-2. Uma vez negativos, elas foram transferidas para um hospital abandonado para continuar seu isolamento por mais 12 dias. Em entrevista à BBC News, o grupo disse: “Temos um banheiro, mas não há chuveiro. Temos um balde para lavar nossas roupas. Na verdade, temos muita sorte porque ouvimos falar de pessoas em piores condições.”

Ilha com quokkas

Encontrar-se isolando em qualquer lugar que não seja sua casa é uma experiência assustadora, mas admitiremos que é difícil não sentir um pouco de inveja dessa. Um navio de cruzeiro na Austrália estra atracado em Rottnest Island, pois um surto a bordo exigiu que eles seguissem para uma zona de quarentena. Oitocentos passageiros australianos do navio de cruzeiro Vasco da Gama estarão alojados na ilha paradisíaca por duas semanas. Rottnest Island é o lar de um dos animais mais amados da Austrália: os quokkas, marsupiais que se tornaram superestrelas de selfies devido a seus rostos adoráveis.