Onda de calor americana pode fazer cannabis crescer

Por Redação

Onda de calor americana pode ajudar crescimento de cannabis
Imagem: Crystal Weed/Unsplash

A onda de calor extremo que está atingindo o noroeste dos Estados Unidos e a Colúmbia Britânica do Canadá parece estar ajudando o crescimento de cannabis na região, ao contrário da maioria das frutas e vegetais que foram destruídos pelas altas temperaturas e fumaça de queimadas.

Um relatório do Independent mostrou que Bill Bilton, proprietário da única fazenda de cannabis ao ar livre de Kamloops, cidade do Canadá, acredita que sua nova safra floresceu nas últimas semanas, apesar do calor extremo e da fumaça do incêndio florestal na área.

Leia mais

+ Onda de calor cozinha moluscos vivos em praia dos EUA

+ Canadá registra centenas de mortes súbitas

“As plantas gostam da fumaça, na verdade. Eles gostam da fumaça porque está cheia de dióxido de carbono”, disse Bill ao veículo britânico. “É uma combinação perfeita, porque estamos recebendo luz solar mais o dióxido de carbono.”

Ele estima que as cannabis de sua safra mais recente, plantada há apenas um mês, cresceram mais de 30 cm nos 10 dias desde o início da onda de calor — número muito maior do que em condições normais.

“É a receita secreta da indústria. Se você está em um cassino, eles bombeiam oxigênio para te manter acordado. Na indústria da cannabis, você bombeia dióxido de carbono. Você pode realmente conseguir plantas 30% maiores e, portanto, um rendimento maior dessa forma — mas tem que ser a quantidade certa.”

Bill explica que a quantidade certa citada é uma leve fumaça no ar, semelhante às condições em torno de sua propriedade no momento. Com mais fumaça no ar, a resina da planta absorverá a substância, alterando seu sabor.

No caso de Bill, o cenário foi positivo porque a maior parte da fumaça do incêndio se instalou em outro vale. O índice de qualidade do ar do local foi elevado ao seu nível mais alto, o que significa que é um risco “muito alto” para a saúde.

O Canadá legalizou a venda e produção de cannabis recreativa em outubro de 2018. O clima ameno e ensolarado do interior da Colúmbia Britânica é um local requisitado pelos cultivadores da planta.

O oeste do Canadá e partes do noroeste do Pacífico dos Estados Unidos enfrentam uma ‘cúpula de calor’ que já fez as regiões baterem recordes de temperatura nas últimas semanas. A vila canadense de Lytton atingiu 49,5ºC no final de junho.

Uma ‘cúpula de calor’ é uma área de ar quente no alto da atmosfera que permanece sobre uma região por um período prolongado de tempo, retendo o calor abaixo.

-Publicidade-